Gabriela Bilo|Estadão
Gabriela Bilo|Estadão

Comércio varejista perdeu R$ 3,1 bi com greve de caminhoneiros

Prejuízo foi calculado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo, que baixou projeção de crescimento nas vendas do varejo em 2018 de 5,4% para 4,7%

Vinicius Neder, O Estado de S.Paulo

29 Maio 2018 | 17h58

RIO - Por causa das paralisações nas estradas promovidas por caminhoneiros em todo o País, o comércio varejista perdeu R$ 3,1 bilhões em apenas seis Estados, conforme cálculos da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). Por causa das paralisações, a entidade revisou sua projeção de crescimento nas vendas do varejo em 2018, de 5,4% para 4,7%.

+ Infográfico: Entenda como a greve afetou o Brasil

+ Veja o que funciona e o que não funciona em SP nesta terça-feira

Em estudo divulgado há pouco, a entidade calcula que, até a segunda-feira, dia 28, houve perda de R$ 1,42 bilhão nas vendas de combustíveis e lubrificantes. Mais R$ 1,73 bilhão foi perdido por causa da escassez de combustíveis que restringiu a oferta de produtos hortifrutigranjeiros no ramo de hiper, supermercados e minimercados.

+ Prefeitura de SP diz que estoque de combustível está no limite

A CNC levantou dados em São Paulo, Minas Gerais, Rio, Paraná, Bahia e no Distrito Federal. Segundo a entidade, esses Estados respondem por 56% da receita dos segmentos de combustíveis e lubrificantes e de hiper e supermercados, em nível nacional. Juntos, os ramos de combustíveis e lubrificantes e de hiper e supermercados respondem por 47% do volume anual de vendas do varejo brasileiro, informou a CNC.

+ Postos de combustíveis retomam atividades em diversos pontos do Rio

A entidade lembrou, em nota, que os dois segmentos são os mais relevantes do varejo. "Diante de perdas intensas percebidas pelos dois mais relevantes ramos do varejo, a CNC revisou sua expectativa do volume de vendas do varejo em 2018 de +5,4% para +4,7%", diz a nota divulgada há pouco.

+ Cade apresenta nove propostas para reduzir preços dos combustíveis

O estudo da CNC desagregou as perdas calculadas em R$ 3,1 bilhões por Estado da seguinte forma: R$ 1,6 bilhão em São Paulo, R$ 418,4 milhões em Minas Gerais, R$ 374,1 milhões no Rio de Janeiro, R$ 328,3 milhões no Paraná, R$ 355,4 milhões na Bahia e R$ 92,5 milhões no Distrito Federal.

Mais conteúdo sobre:
comércio varejo caminhoneiro greve

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.