Comgás discute com Petrobras renovação de contrato

A Comgás já discute com a Petrobras os termos da renovação do contrato de gás natural nacional que vence em dezembro de 2012, no volume total de 3,5 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d). "Estamos conversando e temos prioridade em contratos de gás firme. Mas, no momento, não há definido", disse o diretor de Finanças e de Relações com Investidores da Comgás, Roberto Lage, em entrevista coletiva.

WELLINGTON BAHNEMANN, Agencia Estado

29 de abril de 2010 | 18h57

Segundo o executivo, um dos pontos indefinidos nessa negociação diz respeito à precificação do gás. Pela fórmula atual, o preço do insumo é formado por uma parcela fixa, reajustada anualmente pelo IGP-M, e por uma parcela variável, corrigida trimestralmente pela variação de uma cesta de óleos. "Não sabemos como esse gás será precificado no futuro. Nem a Petrobras tem essa definição ainda", afirmou o DRI da concessionária paulista.

Em paralelo, a companhia segue conversando também com os grandes consumidores sobre a perspectiva de contratação de novos volumes de gás no futuro. "Continuamos discutindo sobre isso, mas a agenda inclui outros temas. Em 2011, por exemplo, haverá o mercado livre de gás", ressaltou Lage. A Comgás, por enquanto, não planeja constituir uma comercializadora para atuar neste segmento.

Hoje, a Comgás tem contratado volumes adicionais de gás para o seu mercado nos leilões de curto prazo promovidos pela Petrobras. Em março passado, a empresa contratou 2,5 milhões de m³/d no último leilão realizado pela estatal. "Estamos complementando a demanda do mercado com o gás contratado nos leilões", afirmou o executivo. Atualmente, o mercado da Comgás tem consumido, na média diária, 13,3 milhões de m³.

Tudo o que sabemos sobre:
gáscontratoComgásPetrobras

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.