Comgás quer ter 500 postos de GNV até 2007

A Companhia de Gás de São Paulo (Comgás) pretende encerrar o ano com 240 postos revendedores de gás natural veicular (GNV), de acordo com Luiz Awazu, diretor de Marketing Comercial e Residencial da distribuidora paulista de gás canalizado. A distribuidora persegue a meta de chegar ao início de 2007 com uma rede de 500 postos revendedores de GNV, número que Awazu considera limite."Atualmente, estamos com 185 postos, distribuídos por 21 municípios", disse Awazu. "Já traçamos planos de ampliarmos a rede, em 2004, em 80 postos revendedores", acrescentou. Ele lembrou que em 2001 existiam apenas 19 postos revendedores na cidade de São Paulo, "nos quais se formavam filas imensas". Ele acrescentou que o programa de expansão da rede de distribuição da companhia permitirá que mais 18 cidades sejam atendidas com o GNV neste ano e em 2004, chegando-se a um total de 39 municípios atendidos."A cada posto instalado, aumenta o número de oficinas de conversão e se agregam empregos, transformando-se os postos em indutores da economia local", disse o executivo, um dos palestrantes do seminário "O gás natural no transporte coletivo metropolitano", realizado hoje pela Assembléia Legislativa do Estado de São Paulo. Ele citou ainda, como exemplo dos benefícios do GNV, o menos poluente dos combustíveis fósseis, um dado atribuído ao Banco Mundial (Bird), segundo o qual "a cada 1 milhão de metros cúbicos de gás que substituem o óleo diesel, deixam de ser gastos R$ 80 mil com saúde".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.