Comgás vai elevar preço do gás residencial em 16%

A Agência Reguladora de Saneamento e Energia do Estado de São Paulo (Arsesp) autorizou reajustes no preço do gás natural comercializado pela Comgás. A agência autorizou aumento médio de 16% para residências, de 30% para indústrias e de 40,82% para o gás natural veicular (GNV). As novas tarifas valerão a partir do próximo sábado, dia 31 de maio. A autarquia também autorizou reajustes para Gas Natural São Paulo Sul, que atua no interior.No Estado de São Paulo, os reajustes da tarifa de gás ocorrem anualmente de acordo com a data de assinatura do contrato de concessão de cada distribuidora. O processo considera a margem de distribuição, o custo de compra de gás e o custo com transporte. Segundo a agência, o reajuste deste ano foi influenciado pela alta do petróleo, que aumentou em mais de 100% entre maio de 2007 e o mesmo mês de 2008, e do custo do óleo combustível, já que a fórmula de atualização do preço do gás da Petrobras é indexada a uma cesta de óleos.Por conta disso, a estatal brasileira reajustou em 41,16% (em dólar) o preço do gás boliviano e em 59,70% (reais) o valor do gás de origem nacional. A agência ainda argumentou que a nova política contratual da Petrobras, que estabeleceu contratos flexíveis de fornecimento a partir de dezembro de 2007, também impactou no preço do gás. A média ponderada dos contratos de compra do insumo da Comgás resultou em um aumento de 39,71% neste custo no período.Além desse componente, o reajuste da concessionária considerou a variação anual medida pelo Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) para custos como operação, manutenção, depreciação e margem no período. Para a Comgás, o índice aplicado foi de 8,83%, descontado o Fator X que corresponde aos ganhos de produtividade da empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.