carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Comgás vai reduzir preços a partir desta terça-feira

Cerca de 73% dos consumidores residenciais (ou 310 mil clientes) atendidos pela distribuidora paulista Comgás deverão ter a tarifa de gás reduzidas a partir de hoje. O anúncio será feito pelo governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, no Palácio dos Bandeirantes. A queda é decorrente da revisão tarifária, que ocorre a cada cinco anos, desde a privatização das concessionárias. No caso da Comgás, trata-se da primeira revisão.Segundo a Comissão de Serviços Públicos de Energia do Estado de São Paulo (CSPE), cada classe de consumo terá sua revisão diferenciada. Ao contrário do que deve ocorrer com os consumidores residenciais, cujas taxas serão reduzidas, em algumas classes de consumo, como industrial e comercial, as tarifas podem subir.De acordo com o relatório da CSPE deste mês, a Comgás terá de investir R$ 889,2 milhões até 2009 para expandir sua malha de distribuição, sendo R$ 274 milhões até abril de 2005. Com isso, o volume de gás distribuído deve crescer 96%, saltando para 6,57 bilhões de m³ por ano em 2009. A expectativa é de que a construção de novas usinas termelétricas e de co-geração impulsione o consumo do setor.O uso de gás natural veicular (GNV) deve crescer 162% em 5 anos, atingindo 918,6 milhões de m³ por ano. O governo do Estado e a Prefeitura de São Paulo estão trabalhando para criar incentivos à sua adoção, especialmente no transporte público. "Pedimos à Petrobras uma redução do preço do gás natural para fomentar o programa", afirmou o secretário de Ciência e Tecnologia, João Carlos de Souza Meirelles, que participou nesta segunda-feira do 1.º Fórum sobre Energia Limpa.Comprada pela British Gas em 1999, a Comgás atende a Região Metropolitana de São Paulo, Vale do Paraíba, Baixada Santista e região de Campinas. São mais de 400 mil consumidores nas classes residencial, comercial e industrial.

Agencia Estado,

20 de abril de 2004 | 06h00

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.