HÉLVIO ROMERO|ESTADÃO
HÉLVIO ROMERO|ESTADÃO

COMIDA ORGÂNICA OCUPA IMÓVEL NA ZONA OESTE

Há um ano

O Estado de S. Paulo

05 Junho 2016 | 05h00

Agora

Faz quase três meses que o empresário Carlos Magno Vivaldi, dono do Quiosque Orgânico fechou contrato de locação de um imóvel de 205 metros quadrados distribuídos por três pavimentos na Avenida Sumaré, importante corredor comercial da zona oeste de São Paulo. 

Um ano atrás, quando a reportagem visitou o imóvel, ele estava vazio havia cinco meses. A proprietária pedia entre R$ 8,5 mil e R$ 9 mil de aluguel. Depois, reduziu para R$ 8 mil. Agora, acaba de fechar o contrato por um valor inferior a R$ 8 mil. “Estou pagando menos de que R$ 8 mil porque o Brasil mudou. O País está cem vezes pior do que um ano atrás.” 

O empresário explica que o contrato de locação só foi fechado porque o seu setor, o de alimentos orgânicos, está na contramão da crise. “O nosso mercado está crescendo 30% ao ano.”

Com três lojas na capital paulista, Vivaldi planeja abrir mais duas até o fim deste ano e conta que não encontra dificuldade para alugar novos imóveis. “Está fácil de negociar aluguel porque o Brasil está destruído.”

Nas novas lojas que pretende abrir, os aluguéis pedidos variam entre R$ 2 mil e R$ 5 mil, independentemente da metragem. “Todo mundo está desesperado”, observa, destacando que os proprietários de imóveis não pedem mais luvas, aquela quantia paga pelo ponto.

Mas o imóvel vizinho do Quiosque Orgânico continua vazio. A imobiliária responsável pela locação informa que faltam candidatos a inquilinos com a documentação exigida.

Mais conteúdo sobre:
Avenida Sumaré São Paulo Brasil Vivaldi

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.