Sérgio Castro/Estadão
Sérgio Castro/Estadão

Comissão da Câmara aprova reajuste para servidores da PF e outras categorias

Impacto previsto para os cofres da União com o reajuste é da ordem de R$ 2 bilhões em 2017, de R$ 548 milhões em 2018 e de R$ 546 milhões, em 2019

Erich Decat, O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2016 | 10h24
Atualizado 27 de outubro de 2016 | 12h51

A Comissão Especial da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 26, projeto que prevê reajuste para os servidores da Polícia Federal e outras categorias. Caso não haja recurso, a proposta segue direto para debate e votação no Senado, onde pode encontrar dificuldade em ser aprovada devido à Operação Métis.

Os reajustes serão pagos em três parcelas até 2019. De acordo com o projeto encaminhado ao Congresso, no dia 26 de julho, ainda durante a interinidade do governo Michel Temer, o impacto previsto nos cofres da União com os reajustes é de R$ 2 bilhões em 2017, de R$ 548 milhões em 2018 e de R$ 546 milhões, em 2019.

Outros cargos. Além de policial federal e policial rodoviário federal, o projeto contempla as carreiras de perito federal agrário, de desenvolvimento de políticas sociais e do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit).

Se o projeto for aprovado e sancionado, os delegados da PF e os peritos criminais federais, que ganham hoje um salário inicial de R$ 16.830, passarão a receber R$ 21.644 em janeiro de 2017 e R$ 23.692 em 2019.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.