Comissão da China contradiz controle da atividade econômica

Um comunicado da Comissão de Reforma e Desenvolvimento Nacional da China contradiz declarações anteriores do governo sobre o sucesso dos controles administrativos em áreas superaquecidas. De acordo com o documento, os investimentos em setores considerados aquecidos da economia chinesa se mantêm muito altos, enquanto os preços do petróleo ameaçam impulsionar a inflação do país.O porta-voz da Comissão, Cao Yusuh, afirmou ainda que os investimentos nos setores de cimento e aço continuavam muito altos, enquanto o excesso de oferta no setor de alumínio ainda é um tema que deveria ser resolvido.A despeito dos limites de crédito e investimentos impostos pelo governo desde o final de 2003, investimentos encobertos ainda existem nesses setores, de acordo com declaração distribuída no site da comissão.Os bens de capital continuam subindo muito rapidamente, em um movimento que se deve, principalmente, aos preços mais altos do petróleo. "O aumento do petróleo tornou-se um fator de incerteza que influencia os preços do consumidor e a operação econômica", disse Yusuh. Números anterioresOs comentários da Comissão sucedem a divulgação do dado que mostrou que os investimentos fixos cresceram 27,7% nos nove primeiros meses do ano, ainda bem acima da expansão de 22,6% do mesmo período de 2003. O crescimento chinês também continua em um ritmo bem mais acelerado do que o objetivo do governo. O PIB cresceu a uma taxa anualizada de 9,1% no terceiro trimestre.As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.