Comissão de Valores Mobiliários entrará em greve

Os funcionários da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) decidiram nesta quarta-feira entrar em greve no próximo dia 12, caso o governo não conceda um reajuste salarial semelhante ao que já foi aprovado para os técnicos do Banco Central. O diretor do Sindicato da CVM (SindiCVM), Amilton Aguiar, informou que até lá os funcionários promoverão uma operação padrão para chamar a atenção do governo para o problema salarial na autarquia. A proposta do sindicato é que a folha de pagamento seja reajustada em 6% em junho e mais 4% em julho.Problema para as empresasA greve dos funcionários da CVM pode afetar em cheio os planos de algumas empresas de captar recursos no mercado financeiro no curto prazo. Atualmente, a autarquia analisa 15 pedidos para lançamento de ações no Brasil e mais R$ 13 bilhões em operações com debêntures - títulos de empresas privadas. Boa parte das empresas quer fazer as ofertas antes do período de férias no Hemisfério Norte, época em que tradicionalmente o apetite dos investidores estrangeiros diminuiu.Em assembléia hoje, os funcionários da autarquia decidiram fazer uma operação padrão até o dia 12. Se as reivindicações não forem aceitas, os trabalhadores da CVM vão entrar em greve por tempo indeterminado. A paralisação pode conseguir algo que nem a forte volatilidade (oscilação) do mercado financeiro nos últimos dias provocou: um atraso no lançamento das ofertas.O superintendente de Registros da CVM, Carlos Alberto Rebello, revelou à Agência Estado que a instabilidade ainda não levou nenhuma empresa a rever seus planos de captação. Mas, admite que as ofertas em análise atualmente na autarquia tinham como meta serem concluídas até final de junho.Rebello observou, porém, que o processo de oferta pública tem um custo elevado. Por isso, quem já deu o pontapé inicial na operação tem menos poder de barganha para desistir. "Nenhuma empresa comunicou a desistência", afirmou. Segundo ele, as empresas que ainda não entraram com um pedido formal para realizar as ofertas podem preferir aguardar um pouco mais para ver como o mercado se comporta.A Brasil & Movimento já adiou o cronograma da sua oferta de ações e fontes do mercado dizem que a companhia pode postergar o processo novamente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.