Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Comissão do pré-sal deve concluir trabalho no prazo, diz Dilma

'Tudo está em andamento, e nós esperamos que se cumpra o prazo', afirma ministra da Casa Civil

Vera Rosa, de O Estado de S. Paulo,

28 de agosto de 2008 | 14h32

A ministra-chefe da Casa civil, Dilma Rousseff, disse nesta quinta-feira, 28, que a comissão interministerial encarregada de apresentar propostas de um novo marco regulatório do setor de petróleo deve concluir o seu trabalho no próximo dia 19. "Está tudo dentro do prazo", afirmou Dilma, quando questionada se haverá adiamento da entrega do relatório sobre o assunto ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Veja também:Mapa da exploração de petróleo e gásEntenda as discussões sobre as mudanças na Lei do Petróleo País pode ter o terceiro maior campo de petróleo do mundoA maior jazida de petróleo do País "Tudo está em andamento, e nós esperamos que se cumpra o prazo", disse a chefe da Casa Civil. Pouco antes, porém, o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, havia informado que deverá pedir ao presidente Lula mais dez dias para a conclusão do trabalho, que tratará do novo modelo petrolífero no País. Vários ministros, em conversas reservas, têm dito que gostariam de esticar o prazo para apresentar o relatório sobre o assunto, mas Lula não quer ceder e continua cobrando para o dia 19 a apresentação dos resultados da comissão interministerial. "Quando a gente concluir o trabalho, como o presidente disse, vamos divulgar amplamente. É muito importante que a sociedade debata esse assunto", afirmou Dilma, após a cerimônia, no Palácio do Planalto, de divulgação do conjunto de investimentos públicos e privados no País. Durante a solenidade, o presidente fez vários elogios ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), comandado por Dilma. Lula disse, por exemplo, que, graças ao PAC, o País vive "uma revolução na área do saneamento" e tem recuperado muitas rodovias.

Tudo o que sabemos sobre:
PetróleoPré-SalDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.