Comissão Europeia aprova garantias para Dexia

Apesar disso, foi reduzida a quantia coberta para o máximo de € 45 bilhões 

Álvaro Campos, da Agência Estado,

21 de dezembro de 2011 | 13h06

BRUXELAS - A Comissão Europeia aprovou nesta quarta-feira, 21, temporariamente, garantias estatais para o refinanciamento do Dexia, apesar de reduzir a quantia coberta para o máximo de 45 bilhões de euros. A Comissão afirmou que os governos de Bélgica, França e Luxemburgo precisam apresentar um plano de reestruturação permanente dentro de três meses, ou um plano de liquidação se o Dexia não se mostrar viável.

"A Comissão considera que o mecanismo de garantias é necessário para preservar a estabilidade financeira dos Estados membros envolvidos, dada a importância  importância do Dexia", afirmou em comunicado a Comissão, que tem poderes antitruste na União Europeia. "Existem nesse estágio, entretanto, dúvidas se a medida de garantias temporárias é compatível com o mercado único, especialmente porque a nova ajuda é um acréscimo ao auxílio já aprovado como parte do plano de reestruturação", acrescenta.

Os governos belga, francês e luxemburguês concordaram mais cedo este ano em fornecer 90 bilhões de euros em garantias para o Dexia. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
dexiabancogarantias

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.