Ralph Orlowski/Reuters
Ralph Orlowski/Reuters

Comissão Europeia corta projeção de crescimento da economia alemã

Dados de produção industrial alemã frustraram analistas; relatório do Deutsche Bank aponta que economia do país se ‘inclina para uma recessão neste momento’

Nicholas Shores e Victor Rezende, O Estado de S.Paulo

07 Fevereiro 2019 | 10h40

A Comissão Europeia fez revisões significativas nas suas projeções para o crescimento na Alemanha neste ano. O Executivo da UE ajustou a previsão para o avanço da economia alemã em 2019 de 1,8% para 1,1%. A última previsão havia sido feita em novembro.

O comissário para Assuntos Econômicos e Financeiros da UE, Pierre Moscovici afirmou em nota que a desaceleração no crescimento na Zona do Euro deve ser maior do que o inicialmente previsto.

"Após o seu pico em 2017, a desaceleração da economia da União Europeia deve continuar em 2019", apontou. "Essa desaceleração deve ser mais pronunciada que esperávamos no outono passado, especialmente na zona do euro, devido a incertezas no comércio global e fatores domésticos na nossa maior economia", completou, referindo-se à Alemanha.

Mais cedo, dados de produção industrial da maior economia da Zona do Euro indicaram uma contração na atividade de 0,4% em dezembro, o que frustrou a expectativa de analistas, que previam uma expansão de 0,8%.

Em relação a igual mês de 2018, a produção geral da indústria alemã diminuiu 3,9% em dezembro no cálculo sem ajustes, informou a Destatis, agência de estatísticas do país.

Os dados indicam para uma desaceleração no crescimento econômico alemão. Em relatório divulgado no início da semana, analistas do Deutsche Bank disseram esperar um novo recuo na economia alemã no primeiro trimestre deste ano e que a maior economia da zona do euro "está se inclinando" para uma recessão neste momento.

"Com base em pesquisas de janeiro muito mais fracas do que o esperado e, em particular, com a queda de componentes mais voltados para o futuro, esperamos que a economia alemã apresente nova contração no primeiro trimestre de 2019", afirmou o banco em nota enviada a clientes.

No relatório, o Deutsche aponta que, devido ao resultado ainda desconhecido do PIB do quarto trimestre, "atualmente revisamos formalmente nossa projeção de crescimento na Alemanha para baixo novamente, mas esperamos cortar vários décimos de ponto porcentual em 22 de fevereiro, a menos que a divisão de estatísticas do PIB do quarto trimestre de 2018 e novos dados mensais nos tragam surpresas positivas substanciais".

O Deutsche comenta que, embora uma recessão técnica possa ser evitada "por um triz" caso o PIB do quarto trimestre de 2018 apresente expansão, "o desenvolvimento de vários indicadores cíclicos importantes nos diz que a economia alemã está se inclinando para uma recessão neste momento".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.