coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Comissão Europeia pede que França esclareça 'protecionismo'

País deve explicar se pacote automotivo prevê exigência de que montadoras mantenham fábricas na França

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

10 de fevereiro de 2009 | 14h48

A Comissão Europeia disse nesta terça-feira, 10, que escreveu para o governo da França pedindo esclarecimento sobre o pacote de resgate para a indústria automotiva do país, anunciado na última segunda. O porta-voz da Comissão, Jonathan Todd, afirmou que a Comissão está "preocupada com o que apareceu na mídia", particularmente sobre alguma exigência de que as montadoras que receberem ajuda precisam manter as fábricas na França.   Veja Também: EUA anunciam ajuda de US$ 1 trilhão para bancos De olho nos sintomas da crise econômica  Dicionário da crise  Lições de 29 Como o mundo reage à crise   Qualquer ajuda "precisa estar totalmente em linha com as regras de ajuda estatal e todos os aspectos da lei da comunidade", explicou Todd. Isso inclui princípios básicos da regra da União Europeia como a liberdade de estabelecimento. Senão, a ajuda seria "considerada ilegal", disse ele. "Esperamos que, assim que recebermos os detalhes das autoridades francesas, nossas preocupações poderão diminuir", acrescentou.   O plano da França de oferecer 6 bilhões de euros (US$ 7,8 bilhões) em ajuda para as montadoras PSA Peugeot-Citröen e Renault SA provocou comentários sobre competição ilegal de alguns países europeus. O ministro das Finanças sueco, Anders Borg, disse a repórteres que o plano é "problemático para a Suécia". "A França precisa esclarecer as propostas sobre esta questão", afirmou Borg, acrescentando que o plano "pode levar para o caminho do protecionismo".   O ministro das Finanças da Alemanha, Peer Steinbrueck, disse a repórteres que também gostaria de obter mais detalhes sobre o plano da França para as montadoras. "Precisamos falar abertamente sobre isso", afirmou. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.