Comissão Européia quer ajudar pobres com recurso excedente

Barroso afirma que volume poderia chegar a 1 bilhão de euros e que garantiria uma 'revolução verde' na África

Deise Vieira, da Agência Estado,

10 de julho de 2008 | 12h12

O presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso, pediu nesta quinta-feira, 10, às nações da União Européia apoio para seu plano de utilizar recursos excedentes dos subsídios agrícolas para ajudar os países pobres. Segundo Barroso, o volume de recursos que seriam destinados aos países mais pobres poderia chegar a 1 bilhão de euros.   Veja também: Entenda a crise dos alimentos     "A Comissão Européia adotará essa proposta na semana que vem. Estou contando com total apoio das autoridades monetárias do Parlamento e do Conselho Europeu para que a Europa possa fornecer a ajuda rapidamente", afirmou.   "Esse apoio é essencial para garantir uma revolução verde que a África precisa para sua estabilidade e prosperidade, o que, como todos nós sabemos, faz parte dos interesses diretos da Europa", declarou ele, acrescentando que a África está vivendo um "drama" por causa dos preços altos dos alimentos.   A Política Agrícola Comum da UE está registrando excedentes porque os preços elevados de produtos alimentícios tornaram desnecessários o apoio financeiro oferecido pelo bloco, que assegura preços mínimos através da compra do excesso de oferta.   A comissária agrícola da UE, Mariann Fischer Boel, já havia proposto em maio que os fundos oriundos do subsídio excedente da Política Agrícola Comum em 2008 e 2009 poderiam ser melhor utilizados. Mas a idéia enfrentou resistência de países membros que normalmente usam o recurso excedente.   No encontro do G8 (sete países mais ricos do mundo e a Rússia), realizado no Japão esta semana, a chanceler alemã, Angela Merkel, expressou reservas sobre o plano, porque o excedente é geralmente usado para reembolsar governos que pagam mais para os cofres do bloco. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.