Comissão Europeia questiona o ?Buy China?

A China segue adiante no esforço de assegurar que seu pacote de estímulo econômico, de US$ 588 bilhões, beneficie as empresas domésticas. Diversos órgãos do governo, incluindo a Comissão Nacional de Desenvolvimento e Reforma, determinaram, em 26 de maio - mas só publicada ontem no site da comissão -, que as empresas chinesas recebam o estímulo do governo. "A não ser em casos em que produtos ou serviços não estejam disponíveis no mercado doméstico ou não possam ser obtidos sob condições razoáveis, produtos domésticos devem ser comprados para o programa de investimento do governo'', diz a ordem oficial.A medida fez com que a Comissão Europeia (CE) anunciasse ontem que buscará esclarecimentos sobre o ''Buy China'' (Compre da China). ''Vamos examinar os detalhes das diretrizes e buscar mais esclarecimentos'', disse o porta-voz da CE Amadeu Altafaj Tardio. A ordem chega no momento em que o governo chinês vem reclamando em fóruns internacionais que as empresas chinesas no exterior são vítimas do protecionismo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.