DIDA SAMPAIO/ESTADÃO
DIDA SAMPAIO/ESTADÃO

Reunião da Comissão do Orçamento é encerrada novamente por falta de quórum

Faltaram senadores para que o colegiado pudesse votar a alteração da meta fiscal de 2016, com déficit nas contas públicas avaliado em R$ 170,5 bilhões

Isabela Bonfim e Rachel Gamarski, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2016 | 11h03

BRASÍLIA - A Comissão Mista de Orçamento (CMO) foi encerrada novamente por falta de quórum. Faltaram senadores para que o colegiado pudesse votar a alteração da meta fiscal de 2016, com déficit avaliado em R$ 170,5 bilhões. Ontem, a comissão também não conseguiu votar a mudança da meta.

O presidente do Congresso, senador Renan Calheiros (PMDB-AL), quer que o tema seja votado diretamente no plenário da Casa e não na Comissão. A intenção de Renan justifica o esvaziamento de senadores na CMO. Nos dois dias a sessão não prosseguiu por falta de representantes do Senado.

Já o presidente da CMO, deputado Arthut Lira (PP-AL), queria que o tema fosse apreciado pelo colegiado que preside. Hoje, Lira tentou inverter a pauta da comissão para votar apenas a alteração da meta, que já tem relatório pronto, mas por falta de parlamentares foi obrigado a suspender a reunião.

Mais cedo, o colegiado havia o quórum quórum necessário para abrir a reunião. A oposição prometeu fazer obstrução à sessão e, logo de início, a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR), que não faz parte do colegiado, pediu o cancelamento da reunião, por falta de quórum e extrapolação do tempo.

O presidente do colegiado, deputado Arthur Lira (PP-AL), negou o apelo de Gleisi, o que gerou uma confusão no plenário. Exaltada, a senadora Gleisi teve o microfone cortado e exigiu o direito de debater a decisão do presidente.

 

Mais conteúdo sobre:
Orçamento

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.