Comitê confirma 2º mandato de Bernanke no Fed

O Comitê Bancário do Senado dos Estados Unidos confirmou hoje Ben Bernanke para um segundo mandato como presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central do país), por 16 votos a favor e 7 contra. O plenário do Senado deve apreciar a nomeação de Bernanke pouco depois do retorno do recesso do Congresso, em 19 de janeiro. Um membro democrata do comitê, o senador Jeff Merkley, se uniu a seis republicanos na votação contrária à confirmação de Bernanke.

REGINA CARDEAL, Agencia Estado

17 de dezembro de 2009 | 15h29

"Desaprovo fortemente algumas das medidas adotadas pelo Fed enquanto Ben Bernanke era membro e presidente e não confio no pouco planejamento para o futuro que ele tenha articulado", disse o senador Richard Shelby, mais alto representante republicano no comitê, na sessão sobre a nomeação de Bernanke. Ele manifestou sérias dúvidas sobre as várias intervenções do Fed no mercado para reduzir o impacto da crise financeira. Os quatro anos do primeiro mandato de Bernanke expiram em 31 de janeiro de 2010. Ele foi nomeado para um segundo termo em agosto pelo presidente Barack Obama.

O senador republicano Jim Bunning exortou o comitê a reter a nomeação de Bernanke até que o Fed forneça mais informação ao Congresso sobre suas atividades no último ano. Ele pediu reiteradamente ao Fed documentos detalhados de suas intervenções em relação ao American International Group Inc. (AIG) e outros grupos financeiros com problemas. Segundo ele, o Fed ignorou seus pedidos. "Espero e peço que todo membro do comitê me apoie na demanda para que tenhamos esta informação antes de seguirmos adiante", disse Bunning. "Precisamos saber o que o Fed está escondendo de nós e do povo americano."

A senadora republicana Kay Bailey Hutchison disse que votaria contra a nomeação de Bernanke porque se sente enganada sobre como o Programa de Alívio de Ativos Problemáticos (Tarp, na sigla em inglês) tem sido usado pelo Tesouro para tentar estabilizar os mercados. Embora o Tarp seja um programa do Tesouro, Bernanke, juntamente com Henry Paulson, então secretário do Tesouro do governo Bush, defendeu fortemente a necessidade de que os fundos fossem liberados pelo Congresso no ano passado. Bernanke esteve envolvido em traçar as linhas do programa.

Outro membro republicano do comitê, o senador Bob Corker, disse que Bernanke cometeu erros, como todo outro regulador federal do setor financeiro. Mas ele disse que votaria por Bernanke, porque não consegue pensar em outra pessoa melhor para o cargo. Corker também disse querer alguém familiarizado com a "expansão do balanço" do Fed e que possa lidar com isso a fim de evitar o espectro de uma "enorme inflação". As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
mandatoBernankeFedSenadoEUA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.