Comitê de credores discute dívida da Varig

A criação de um comitê de credores para negociar a dívida da Varig foi proposta pelo ministro da Fazenda, Pedro Malan, há cerca de dez dias, durante reunião para discutir a situação do setor de aviação civil.Caberia a esse comitê, de acordo com a proposta de Malan, encontrar uma solução que agrade a todos os credores e, ao mesmo tempo, dê à Varig fôlego para pagar seus débitos.CredoresParticiparam da discussão o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Sérgio Amaral, e representantes do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), da BR Distribuidora, do Banco do Brasil e da Infraero. Os três últimos são credores da Varig.Uma fonte do governo explicou que existe a preocupação de algum credor precipitar o pedido de falência da Varig. Por isso, o BNDES está fazendo uma espécie de sondagem junto às empresas para saber o que elas acham da proposta.Entre os principais credores, além das empresas públicas, estão as de leasing - GE Capital Aviation Services (Gecas) e Boeing -, Unibanco e Santander/Banespa.Memorando de entendimentoAinda segundo a fonte, o objetivo é restabelecer a relação de confiança da Varig com o mercado. Das negociações realizadas dentro desse comitê poderá ser assinado memorando de entendimento com etapas de renegociação da dívida a serem cumpridas.Uma das opções seria a conversão de parte da dívida em capital da Varig. Esta alternativa não descarta a participação dos credores na gestão da companhia. Uma fonte do mercado explica que a Lei de Sociedades Anônimas (SA) garante aos sócios que detêm mais de 10% das ações da empresa o direito de participar da gestão. A dívida da Varig, só com o governo federal, é de R$ 3,5 bilhões.CautelaOs técnicos do BNDES estão sendo cautelosos na análise do pedido de capitalização da Varig. Eles sabem que o processo vai estabelecer regras e benefícios para negociações futuras com outras companhias. Até mesmo a TransBrasil, que não está operando, mas ainda não foi desativada, poderá recorrer ao BNDES, explica a fonte do mercado.CapitalizaçãoA Vasp já anunciou que também pretende negociar com o BNDES, depois de concluído o processo da Varig, que quer captar no mercado cerca de R$ 900 milhões. Um terço deste valor está sendo negociado com o BNDES. A capitalização, caso a operação seja aprovada, deve vir através da compra de debêntures.?Será uma solução de mercado e não de salvamento?, informou uma fonte do BNDES. O Banco aguarda as informações que solicitou à Varig sobre a Rio Sul e a Nordeste, para concluir a análise do projeto de reestruturação da empresa em setembro ou outubro.

Agencia Estado,

26 de julho de 2002 | 18h53

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.