Paulo Whitaker/Reuters
Paulo Whitaker/Reuters

Comitê de energia decide acionar térmicas e considera importação

Objetivo da medida é preservar reservatórios das usinas hidrelétricas que estão com nível de armazenamento baixo devido à falta de chuva; como recurso adicional, energia pode ser comprada de Uruguai e Argentina

Anne Warth e Sandra Manfrini, O Estado de S.Paulo

08 de fevereiro de 2019 | 20h11

BRASÍLIA - O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE) decidiu, em reunião extraordinária realizada nesta sexta-feira, 8, elevar o número de termelétricas acionadas no País como medida para preservar reservatórios das usinas hidrelétricas que estão com nível de armazenamento baixo devido à falta de chuva.

Em nota, o comitê informou que as usinas termelétricas dos subsistemas Sudeste, Centro-Oeste e Sul serão acionadas a partir deste sábado, ao custo de geração de até R$ 588,75/MWh.

As usinas termelétricas usam combustível, como óleo e gás, para gerar energia. Ao acioná-las, o governo substitui parte de geração hidrelétrica e poupa água dos reservatórias. No entanto, essa energia é mais cara, o que impacta o custo da conta de luz. Neste mês, está vigorando a bandeira tarifária verde, que não tem nenhum custo extra na conta de luz. Com o aumento do uso de térmicas, porém, a bandeira pode ficar amarela ou vermelha, com cobrança extra.

Na reunião, o comitê avaliou as condições de suprimento energético e levou em consideração os atuais armazenamentos dos reservatórios equivalentes das usinas hidrelétricas do País e as previsões meteorológicas para os próximos dias. As chuvas de janeiro foram abaixo da média, o que é incomum porque esse seria o auge do período úmido. A seca deveria começar apenas em abril, maio.

Além de acionar as térmicas, o CMSE deliberou que o Operador do Sistema deve considerar a oferta de importação de energia do Uruguai e Argentina como recurso adicional.

"O Comitê reiterou a garantia do suprimento no ano de 2019 e destacou que há recursos energéticos disponíveis, inclusive além dos montantes já despachados de usinas termelétricas", diz a nota do comitê, que continuará acompanhando as condições de suprimento do Sistema Elétrico Brasileiro. Ainda segundo o CMSE, as condições de atendimento serão reavaliadas semanalmente.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.