finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Commerzbank pode ter que pagar entre US$600 mi e US$800 mi em acordo com EUA, dizem fontes

O Commerzbank, segundo maior banco da Alemanha, deve pagar entre 600 milhões e 800 milhões de dólares para resolver investigações em suas negociações com o Irã e outros países sob sanções dos Estados Unidos, disseram fontes familiarizadas com o assunto.

REUTERS

10 de julho de 2014 | 10h14

A penalidade, anteriormente divulgada como acima de 500 milhões de dólares, inclui um pedido do principal regulador bancário de Nova York, Benjamin Lawsky, de mais de 300 milhões de dólares do banco, disseram as fontes.

Outras autoridades dos EUA, incluindo o Departamento de Justiça, o Departamento do Tesouro, o Federal Reserve e o Promotor Distrital de Manhattan, também estão envolvidas nas conversas.

O banco alemão é o mais recente a entrar em negociações para um acordo com autoridades dos EUA. O francês BNP Paribas fechou um acordo recorde de 8,9 bilhões de dólares na semana passada para encerrar investigações sobre violações de sanções e má condutas envolvendo o Sudão, Irã e Cuba.

As autoridades dos EUA também investigam o italiano UniCredit, os franceses Credit Agricole e Société Générale, e o alemão Deutsche Bank por violações a sanções, disseram fontes.

O Commerzbank tinha 934 milhões de euros (1,27 bilhão de dólares) no fim de 2013 como provisão para riscos por litígio, incluindo as investigações nos EUA.

(Por Karen Freifeld)

Tudo o que sabemos sobre:
BANCOSCOMMERZBANKMULTA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.