Commodities têm dia positivo nos EUA

A maioria das commodities agrícolas terminou o pregão desta quarta-feira com valorização nas bolsas americanas. Ainda há incertezas nos mercados quanto à crise europeia, mas alguns investidores aproveitaram os preços mais baixos das ações e das commodities, após a queda da véspera, para comprar. Com isso, as cotações se recuperaram. O petróleo negociado em Nova York subiu 4,0% com sinais de demanda aquecida. O índice CRB, que representa contratos futuros de 19 commodities, entre metais, energia e agrícolas, avançou 1,62%.

Análise: Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

27 de maio de 2010 | 00h00

Os contratos de açúcar do tipo demerara negociados na Bolsa de Nova York acompanharam a alta do petróleo - com a valorização, os produtores de cana tendem a aumentar a produção de etanol. O açúcar para entrega em julho fechou em alta de 0,72%, a 15,36 centavos de dólar por libra-peso.

Já o café, que também subiu 0,72%, foi puxado por compras de torrefadoras. Elas tiraram proveito de preços relativamente baixos em um momento de oferta apertada. Atualmente, grãos de qualidade estão escassos no mercado internacional.

Na Bolsa de Chicago, o milho liderou o movimento de valorização e subiu quase 2,0%. Soja e trigo fecharam com ganhos de 0,81% e 0,27%, respectivamente. Nos três mercados, os investidores ajustaram suas posições após o declínio de terça-feira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.