REUTERS/Regis Duvignau
REUTERS/Regis Duvignau

Como as companhias aéreas esperam que a inovação ajude a mudar sua maneira de viajar

Centenas de expositores apresentaram novos assentos, tecidos, luzes, sistemas de entretenimento a bordo ou conceitos criativos de layout na Aircraft Interiors Expo, em Hamburgo

Benedikt Kammel, Bloomberg

03 de maio de 2019 | 15h07

Os voos comerciais podem ter perdido seu apelo mítico da era do jato - pense nas lotadas operadoras de voos de baixo custo, melancólico serviço de bufê e a prematura aposentadoria do majestoso Airbus A380 -, mas as empresas aeroespaciais estão ocupadas tentando melhorar a experiência do passageiro a bordo de uma aeronave.

No mundo hipercompetitivo da aviação, mais conforto na cabine também pode ser um importante ponto de venda para as companhias aéreas e os recursos da cabine (ou a falta dela) são detalhes muito discutidos nas plataformas de mídia social.

Na Aircraft Interiors Expo realizada anualmente em Hamburgo, a maior vitrine de inovações para a cabine, centenas de expositores apresentaram novos assentos, tecidos, luzes, sistemas de entretenimento a bordo ou conceitos criativos de layout.

Uma grande tendência na exposição deste ano: aproveitar melhor os dados que são gerados na cabine para proporcionar uma experiência mais personalizada a passageiros, dar apoio aos comissários de bordo, melhorar a manutenção de complexos de assentos da classe executiva ou áreas de cozinha.

A seguir, uma relação de algumas das principais tendências e características apresentadas na exposição deste ano em Hamburgo, por mais de 500 expositores.

Sentir-se em casa

Com o passar das décadas, os tecidos de assentos e cabines passaram de tons psicodélicos a suaves. A última tendência é de passar uma sensação mais caseira. A Lantal Textiles, uma fabricante de tecidos para aeronaves, exibiu cortinas de cabine com um tecido mais luxuoso e com várias camadas, e a Lonseal Inc. apresentou pisos que imitam os detalhes granulados de madeira real para uma atmosfera mais relaxante no espaço da cabine.

A iluminação ambiente continua sendo a principal força da inovação em cabine, mas a nova geração de luzes LED também permite que as companhias aéreas reduzam consideravelmente o peso. A Collins Aerospace introduziu uma lâmpada de leitura que pode adaptar-se a diferentes aplicações, de um grande spot a um pequeno ponto, com opções de cores, eliminando a necessidade de elementos adicionais, como a iluminação lateral.

Sentir-se confortável (mesmo na classe econômica)

Assentos-cama em business class e na primeira têm sido um destaque há mais de uma década, mas o modesto assento da classe econômica permaneceu em grande parte construído para os seguintes fins: ser esbelto, leve, com limitado conforto.

A Recaro Holding apresentou um redesenho de seu assento CL3710 construído especialmente para rotas de longa distância, que conta com recursos adicionais para dormir, como suporte de cabeça envolvente e uma borda retrátil para estender o assento e fornecer apoio mais firme para as coxas. Sentindo muito calor ou frio na cabine? A Lantal está trabalhando em um sistema de controle de temperatura que permite que o ocupante aqueça ou resfrie seu assento.

No espectro mais luxuoso da cabine, a Airbus está testando um novo layout de assento que chama de sofá de canto, combinando um assento de uma pessoa com um design de bancada que pode ser usado para reuniões durante o voo ou para um cochilo.

Perfume e sensibilidade

Sentir-se enjoado por que há um odor rançoso flutuando pela cabine? A Panasonic Avionics Corp. está trazendo um sistema de desodorização de ar para a cabine que purifica a área em torno de um passageiro (business), usando partículas atomizadas eletrostáticas de tamanho mínimo para neutralizar o ar e combater vírus e bactérias.

Na exposição em Hamburgo, os engenheiros apresentaram a tecnologia usando um pedaço de pano com o odor duvidoso de batatas fritas velhas. Após cerca de um minuto de rajadas da substância com nanopartículas, o cheiro era de lençóis limpos.

Na Fokker Technologies, engenheiros estão trabalhando com a infusão da cabine por fragrâncias distintas e a empresa está colaborando com a marca de cosméticos Rituals em um produto que distribui aromas pelo sistema de ar condicionado, prometendo maior conforto aos passageiros ou a capacidade de criar aromas que identifiquem as companhias aéreas, para melhor reconhecimento da marca.

Mapeamento

Embora o entretenimento a bordo tenha percorrido um longo caminho desde que os filmes eram projetados em uma tela com a resolução de um tapete de banheiro, ainda há um longo caminho à frente para transformar as ofertas de mídia em uma experiência pessoal dedicada para cada passageiro. Os mapas em voo continuam sendo um dos recursos mais populares da cabine, mas a experiência fica atrás dos recursos imersivos que se tornaram predominantes em dispositivos móveis pessoais.

A Panasonic criou um mapa que utiliza informações pessoais de viagem do perfil do programa de fidelidade do passageiro e integra-o a recursos de entretenimento durante o voo e detalhes dos arredores e do destino. Chegando às companhias aéreas no próximo ano, o mapa também permitirá que os passageiros usem os dados do FlightAware que seguem as rotas de voo de outras aeronaves.

Armários inteligentes

Poucas coisas são mais tediosas do que esperar as bagagens no carrossel após uma longa jornada, e é por isso que mais pessoas tentam encaixar suas malas nos compartimentos superiores. A Airbus e a Boeing têm trabalhado em armários maiores, e a Boeing apresentou o novo layout de sua aeronave wide-body 777X. 

A Airbus também quer tornar os gabinetes mais inteligentes, usando sensores que rastreiam se um armário está em uso, bem como o peso da bagagem carregada, fornecendo dados vitais para a companhia aérea sobre as taxas de ocupação. Em algum momento no futuro, a Airbus quer dar aos passageiros a opção de reservar seu próprio espaço de armazenagem, ajudando a superar as agressivas batalhas entre passageiros na cabine por espaço de armazenamento. / Tradução de Claudia Bozzo

Tudo o que sabemos sobre:
AirbusaviaçãoBoeingtecnologia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.