Tiago Queiroz/ Estadão
Tiago Queiroz/ Estadão
Imagem Fábio Gallo
Colunista
Fábio Gallo
Conteúdo Exclusivo para Assinante

Cada fase da vida financeira precisa de uma abordagem própria

O ciclo tem quatro fases: acumulação, crescimento ou gestão, preservação e proteção e, por último, chega a hora de usufruir a riqueza e de planejar sua transferência

Fábio Gallo, O Estado de S.Paulo

16 de abril de 2022 | 05h00

As nossas vidas são marcadas por ciclos nos campos biológico, social, familiar, profissional, político... Da mesma forma, temos ciclos em nossa vida financeira. Ter consciência de qual fase da vida financeira você está deve ajudá-lo a realizar um plano mais bem definido, que permita a otimização de seus investimentos de acordo com seu perfil de risco, independentemente de idade.

O ciclo de vida financeira tem quatro fases: acumulação, crescimento ou gestão, preservação e proteção e, por último, chega a hora de usufruir a riqueza e de planejar sua transferência. Cada fase do ciclo precisa ser cuidada com uma abordagem própria.

A primeira fase, a de acumulação de riqueza, ocorre quando a pessoa está construindo sua carreira profissional, está mais ativa e em condições de obter melhores salários. Tem o longo prazo a seu favor e pode tirar todo proveito do poder dos juros compostos. Essa fase tem tudo a ver com economia, não gastar com pressa, construir a reserva de emergência e firmar objetivos.

A segunda fase é a de crescimento e gestão da riqueza, um estágio crítico do ciclo de vida financeira. As pessoas buscam maiores retornos e se expõem mais, aceitando níveis de risco maiores. Mas aquele que não administrar bem sua riqueza terá muitas dificuldades para gerir os estágios subsequentes. Todos os ganhos devem ser reinvestidos.

A terceira fase é a de preservar e proteger a riqueza. Assim, sua carteira deve ser reavaliada, com troca de maiores retornos potenciais pela redução de volatilidade. Devem ser encontradas maneiras de quitar dívidas, complementar seguros e compensar o aumento com gastos com saúde. Apesar de o planejamento para a aposentadoria ter de começar ainda na primeira fase, este é momento de firmar esses planos.

A última fase é quando a aposentadoria está muito perto ou você já está vivendo de renda da remuneração do capital acumulado. É a fase da independência financeira. Momento de aproveitar a vida, usufruindo do que foi conquistado. Sua carteira deve ser mais conservadora, com investimentos mais líquidos. É tempo de pensar também na sucessão de sua riqueza.

Assim, devemos prestar atenção às fases do ciclo financeiro de nossas vidas. Mas, por conta do dia a dia ou por não darmos a devida importância, deixamos de lado o cuidado com as finanças. Devemos ter um plano financeiro sólido e dinâmico a ser alterado conforme o ciclo de vida financeira para podermos conquistar nossos objetivos. Viver como o planejado é o que nos traz um maior grau de bem-esta

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.