Como estão os aeroportos das 12 cidades-sede da Copa

Com investimentos de R$ 11,3 bilhões desde 2011, País ampliou em 70 milhões de passageiros por ano a capacidades dos aeroportos

Agência Estado e Economia & Negócios

12 de junho de 2014 | 10h34

Entre obras de reforma, ampliação e um aeroporto construído do zero, no saldo total para a Copa do Mundo o País ampliou em 70 milhões passageiros por ano a capacidade de embarques e desembarques aéreos.

Apesar disso, a impressão geral não é tão boa por causa de problemas isolados, segundo o ministro-chefe da Secretaria de Aviação Civil (SAC), Wellington Moreira Franco, em entrevista ao 'Estado' nesta terça-feira, 10.

Ao todo, foram investidos R$ 11,3 bilhões entre 2011 e 2014. Os aeroportos concedidos (Guarulhos, Viracopos, Brasília e Aluízio Alves/Natal), foram responsáveis por R$ 6,8 bilhões dessa fatia. Os demais receberam R$ 4,5 bilhões da Infraero, incluindo Confins e Galeão, que, apesar de concedidos, ainda estão sob gestão da Infraero. Até o fim do ano, a promessa é de mais R$ 5,8 bilhões em investimentos.

De acordo com dados da Secretaria de Aviação Civil (SAC), houve uma expansão de 42% na área de pátios de aeronaves, que atingiu 4,9 milhões de metros quadrados. O acréscimo equivale a 178 campos do Maracanã.

Para os passageiros, a área de terminal teve expansão de 35%, chegando a 1,5 milhão de metros quadrados. Nos aeroportos concedidos, diz a SAC, as ampliações de saguão, embarque e desembarque equivalem a duas vezes a área do Estádio Nacional Mané Garrincha.

Segundo a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), foram ofertados 11,5 milhões de assentos para a Copa do Mundo. Em algumas cidades, a taxa média de ocupação dos voos chega a 80%.

Veja a situação dos aeroportos das 12 cidades-sede da Copa do Mundo:

Cidade-sede: São Paulo (São Paulo)

Aeroporto Internacional de São Paulo/Guarulhos - Governador André Franco Montoro: chamado de Gru Airport, o aeroporto é atualmente operado pelo Grupo Invepar, que venceu o leilão da concessão em 2012. Atende atualmente 35 milhões de passageiros por ano em três terminais. Até maio deste ano, as reformas criaram 3,5 mil vagas de estacionamento, ampliaram banheiros, modernizaram os atuais terminais e a segurança da pista das aeronaves. Novas lojas e praça de alimentação estão entre as reformas. O investimento até a Copa do Mundo foi de R$ 3 bilhões.

Aeroporto Internacional de Viracopos/Campinas: operado pelo Consórcio Aeroportos Brasil, que ganhou o leilão em 2012, Viracopos recebeu R$ 2 bilhões em investimentos até maio deste ano e tem capacidade para receber 14 milhões de passageiros por ano.

Cidade-sede: Rio de Janeiro (Rio de Janeiro)

Aeroporto Internacional do Rio de Janeiro/Galeão - Antonio Carlos Jobim: a Infraero afirma que o Terminal 2 foi concluído e, com isso, o Galeão ampliou sua capacidade de 17,4 milhões de passageiros por ano para 30,4 milhões de viajantes ao ano. A demanda prevista para 2014 é de 18,9 milhões de viajantes.

Parte da reforma do Terminal de Passageiros 1, orçada em R$ 198,36 milhões, foi concluída em maio. O restante será reavaliado com o novo concessionário do Galeão e, segundo a Infraero, esse fato não afetará as operações durante a Copa. A reforma e ampliação do Terminal de passageiros 2 foi orçada em R$ 156,39 milhões e concluída em maio. E a recuperação e revitalização dos sistemas de pistas e pátios foi orçada em R$ 85,10 milhões e concluída em março.

É um dos aeroportos concedidos pelo "Programa de Investimentos em Logística: Aeroportos" em 2013. A concessão foi vencida pelo Consórcio Aeroportos do Futuro, com lance de R$ 19 bilhões para operar o aeroporto por 25 anos. Galeão movimentou 17,5 milhões de passageiros no ano de 2012 e é o segundo mais movimentado do País, sendo a demanda projetada para 2038 (fim do prazo da concessão) de 60 milhões de passageiros por ano. Foram estimados investimentos iniciais obrigatórios no valor de R$ 5,7 bilhões até abril de 2016. Atualmente, a gestão do aeroporto está em fase de transição da Infraero para o consórcio. Por isso, as atuais reformas são de responsabilidade da Infraero.

Cidade-sede: Brasília (DF)

Aeroporto Internacional de Brasília - Presidente Juscelino Kubitschek: operado pelo Consórcio Inframérica desde dezembro de 2012, recebeu R$ 900 milhões em investimentos para reformas e ampliações até a Copa. Atende a cerca de 16 milhões de passageiros por ano.

Cidade-sede: Belo Horizonte (Minas Gerais)

Aeroporto Internacional de Confins - Tancredo Neves: segundo a Infraero, o Terminal de Passageiros 3 está parcialmente concluído, mas será inaugurado oficialmente somente depois da Copa. Até fim desta semana, a Infraero garante que o Terminal 3 será liberado para embarque e desembarque de aviação geral e executiva. Durante o Mundial, poderá ser usado para voos de delegações. O Terminal 1, de acordo com a Infraero, por enquanto dá conta da demanda de passageiros.

Com o Terminal 3 e outras reformas, a Infraero afirma que aeroporto de Confins teve capacidade ampliada de 10,2 milhões de passageiros por ano para 17,1 milhões. O local tem obras de reforma em andamento, orçadas em R$ 260 milhões; construção do Terminal de passageiros 3, orçada em R$ 26,8 milhões. A reforma e ampliação da pista de pouso e do sistema de pátios foi concluída, com investimentos de R$ 222,7 milhões.

Confins é um dos aeroportos concedidos pelo governo federal no ano passado. A concessão foi vencida pelo Consórcio Aero Brasil em novembro de 2013, pelo lance de R$ 1,8 bilhão para operar o aeroporto por 30 anos. Estão previstos investimentos iniciais de R$ 3,5 bilhões até abril de 2016. Atualmente, a gestão do aeroporto está em fase de transição da Infraero para o consórcio. Por isso, as atuais reformas são de responsabilidade da Infraero.

Cidade-sede: Porto Alegre (Rio Grande do Sul)

Aeroporto Internacional de Porto Alegre - Salgado Filho: tem capacidade para 15,2 milhões de passageiros ao ano. Em 2014, a expectativa é de 10,7 milhões de embarques e desembarques. Parte da reforma foi feita para a Copa, com duas novas posições de aeronaves. Mas a conclusão total está prevista para janeiro de 2016, quando a capacidade será de 18,9 milhões de passageiros por ano. O orçamento total é de R$ 335 milhões.

Cidade-sede: Curitiba (Paraná)

Aeroporto Internacional de Curitiba - Afonso Pena: com reforma orçada em R$ 239 milhões, o aeroporto teve a capacidade ampliada de 7,9 milhões de passageiros para 8,5 milhões. A demanda esperada neste ano é de 7,9 milhões de viajantes. A restauração da pista de pousos e decolagens foi concluída em junho de 2012, por R$ 19 milhões. A ampliação do pátio de aeronaves foi orçada em R$ 27,2 milhões. A obra completa do Afonso Pena tem término previsto para 2016, quando a capacidade do aeroporto será de 14,8 milhões de passageiros por ano.

Cidade-sede: Cuiabá (Mato Grosso)

Aeroporto Internacional de Cuiabá - Marechal Rondon: obra de reforma e ampliação foi orçada em R$ 98,68 milhões. O aeroporto teve sua capacidade ampliada de 2,5 milhões de passageiros por ano para 5,7 milhões. Segundo a Infraero, a demanda prevista para 2014 é de 3,3 milhões de passageiros.

Cidade-sede: Fortaleza (Ceará)

Aeroporto Internacional de Fortaleza - Pinto Martins: para ampliar a capacidade, foi construído o Terminal Remoto Temporário com investimento de R$ 1,7 milhão. Segundo a Infraero, esse tipo de solução já foi utilizada para atender a demanda pontual de outros grandes eventos esportivos, como nas Olimpíadas de 2012, na Copa de 2010 e na Eurocopa 2004. Com o terminal temporário, a capacidade do aeroporto foi ampliada em 400 mil, para 6,9 milhões de passageiros por ano, perto da demanda esperada para este ano, de 6,8 milhões. As obras definitivas de ampliação do aeroporto foram paralisadas. O contrato foi reincidido em função da baixa execução dos trabalhos, segundo a Infraero, que buscará um novo contrato após a Copa. Antes da rescisão, foram concluídas a ampliação da área de equipamentos de rampa, construção de uma nova sala de embarque doméstico, além da ampliação do pátio de aeronaves.

Cidade-sede: Recife (Pernambuco)

Aeroporto Internacional do Recife/Guararapes - Gilberto Freyre: foi reformado em 2006 e tem capacidade para receber 16,5 milhões de embarques e desembarques. Para 2014, a demanda prevista é de 8,7 milhões de passageiros, segundo a Infraero.

Cidade-sede: Natal (Rio Grande do Norte)

Aeroporto de São Gonçalo do Amarante - Aluízio Alves: em operação desde o dia 31 de maio e inaugurado às vésperas da Copa, o aeroporto fica a 40 km do centro Natal e é o primeiro 100% privado do País. Operado pelo consórcio Inframérica, que tem a concessão por 28 anos e investiu R$ 480 milhões no aeroporto, o terminal tem capacidade para atender 6,2 milhões de passageiros por ano. Com a inauguração do Aeroporto Aluízio Alves, o antigo Aeroporto Internacional de Natal - Augusto Severo será desativado para voos comerciais.

Cidade-sede: Salvador (Bahia)

Aeroporto Internacional de Salvador - Dep. Luís Eduardo Magalhães: o aeroporto tem capacidade para 13 milhões de embarques e desembarques e a demanda prevista para 2014 é de 10,8 milhões de passageiros. A obra de reforma do terminal de passageiros, orçada em R$ 93,53 milhões, foi planejada para aumentar o conforto das salas de embarque e desembarque, mas não para ampliar a capacidade. A ampliação do pátio de aeronaves recebeu investimentos de R$ 17,56 milhões e foi concluída em setembro de 2013. A construção de uma nova torre de controle ficou no valor de R$ 16,14 milhões.

Cidade-sede: Manaus (Amazonas)

Aeroporto Internacional de Manaus - Eduardo Gomes: tem capacidade anual para receber 13,5 milhões de passageiros, mas a demanda prevista para 2014 é de apenas 4 milhões. A construção de novas salas de embarque, orçada em R$ 444,46 milhões, foi parcialmente concluída em janeiro deste ano.

(COLABORARAM: LU AIKO OTTA E MARIANA CONGO)

Notícias relacionadas
    Tudo o que sabemos sobre:
    copa 2014aeroportos

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.