Gol
Gol

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Como vai funcionar a Gal, robô de aeroporto da Gol

Gal estreia nesta terça-feira, 22, em Guarulhos, e vai ‘aprender’ à medida que interagir com passageiros no saguão

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2019 | 17h28

Quem passar pelo Aeroporto de Guarulhos nesta terça-feira, 22, vai se deparar com um robô caracterizada com a cor laranja da marca da Gol. Na verdade, o robô é “ela” – mais especificamente Gal, criada para interagir com os passageiros nos saguões dos principais aeroportos do País. Nesta terça começam os testes com a tecnologia, desenvolvida com a chinesa Ubtech (hardware) e pela startup brasileira Pluginbot (software de interação).

Segundo a companhia aérea, a Gal – que terá cerca de 1,40m de altura, para poder interagir com crianças e adultos – começará com funções limitadas e se transformará em uma plataforma de atendimento completa com o passar dos meses. O objetivo é que o período de testes em Guarulhos, neste fim de 2019, sirva para acelerar o aprendizado da máquina.

Neste primeiro momento, a Gal não conseguirá realizar operações. No futuro, a ideia é que ela esteja conectada com o sistema de atendimento da Gol. Por enquanto, a robô poderá apenas responder perguntas, indicando, por exemplo, como fazer uma mudança de assento ou de voo por meio do aplicativo. Ela já será capaz, porém, guiar o cliente até o check-in ou a loja da Gol desviando de todos os obstáculos do caminho.

A interação da Gal será com voz feminina. O objetivo da Gol é que, com o passar do tempo, a voz da robô seja adaptada ao sotaque da região de cada um dos aeroportos onde ela ajudará no atendimento. A ideia é que todos os principais terminais do País recebam a atendente equipada com inteligência artificial ao longo do ano que vem.

A Gal está sendo “alimentada” com informações referentes às principais questões relativas à operação da companhia aérea. Ela não será capaz de responder a questões específicas, como as relacionadas a juizado de menores ou a questões particulares dos passageiros. Desde a madrugada deste domingo, a robô começou a circular nas madrugadas em Guarulhos. Equipada com sensores, ela vai se “graduar” aos horários de grande fluxo a partir desta terça.

Neste primeiro momento, a interação terá de partir do passageiro – mas, no futuro, os sensores da Gal poderão iniciar uma conversa antes que ela seja acionada. Como terá olhos e boca na tela que representa seu “rosto”, a robô poderá dar uma piscadinha para incentivar o início do diálogo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.