Compagás investirá R$ 25 milhões na rede canalizada no Paraná

O gás natural está expandindo-se de forma acelerada no Paraná, apesar das dificuldades que enfrenta na competição com outras fontes de energia na indústria. A distribuidora de gás canalizado Companhia Paranaense de Gás (Compagás) projeta uma receita operacional líquida de mais de R$ 100 milhões para este ano, mais que o dobro dos R$ 49,6 milhões registrados em 2001. E planeja investir R$ 25 milhões, nos próximos dois anos na ampliação em 180 km de sua rede de distribuição, que deverá terminar este ano com cerca de 400 km de extensão.O crescimento exponencial do faturamento reflete, contudo, a pequena base de comparação, segundo o presidente da Compagás, Antônio Fernando Krempel. "É como o crescimento de uma criança, em que a idade dobra rapidamente", disse ele. "Estamos sacrificando muito nossa margem de comercialização para captar clientes e viabilizar o gás no Paraná", disse o executivo. Segundo ele, por conta da vinculação do preço do gás natural às cotações internacionais do petróleo e ao dólar, há uma defasagem de 30% a 35% nos preços do combustível que a empresa procura compensar com a redução de sua margem e com o aumento de produtividade. "Mas em algum momento teremos de aumentar os preços.A expectativa de Krempel é de que a ampliação da rede de distribuição da companhia deverá elevar o volume de vendas em 217 mil m³ por dia, em média, sobre os atuais 500 mil m³/dia médios atuais. Mas o grande salto nas vendas deverá acontecer no próximo ano, com a entrada em operação da usina termelétrica de Araucária, que deverá absorver 2,1 milhões de m³ por dia de gás natural. A termelétrica, construída em parceria pela El Paso, Copel e Petrobras, foi inaugurada em 1/10, custou US$ 340 mi e tem capacidade de 469 megawatts (MW).Leia mais sobre o setor de Energia no AE Setorial, o serviço da Agência Estado voltado para o segmento empresarial.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.