Companhia aérea chinesa encomenda 100 jatos da Embraer

A Embraer anunciou nesta quarta-feira a venda de 100 aviões para o Grupo HNA, quarta maior companhia aérea da China, sendo 50 do tipo ERJ 145 e 50 do modelo 190. Segundo a empresa, o valor total das encomendas firmes, ao preço de lista, é US$ 2,7 bilhões. Conforme o aviso, trata-se do primeiro contrato de venda de um E-Jet na China territorial.As entregas dos ERJs 145 começarão em setembro de 2007 e as do modelo 190, em dezembro de 2007. No primeiro caso, trata-se de um jato de 50 assentos, que será produzido pela joint venture Harbin Embraer Aircraft Industry (HEAI), na cidade de Harbin, na Província Heilongjiang (China). Já o Embraer 190 será produzido na fábrica de São José dos Campos, em São Paulo, e configurado com 106 assentos, em classe única."Estamos exultantes por anunciar este negócio, que confirma a nossa acertada visão e estratégia de longo prazo de nos tornar uma empresa importante no mercado chinês", disse em comunicado o presidente do conselho e diretor-presidente da Embraer, Maurício Botelho."A encomenda de 50 aviões ERJ 145 pelo Grupo HNA garantirá a continuidade do sucesso da joint venture, que, por sua vez, fortalecerá a cooperação entre os dois países no setor da aviação", afirmou Zhang Hongbiao,Presidente da China Aviation Industry Corporation II (AVIC II), parceira da Embraer na joint venture HEAI.Além disso, "o negócio fechado incrementará a produção de jatos regionais e o mercado de transporte aéreo regional na China", acrescentou Hongbiao, em comunicado.Segundo a Embraer, a introdução do ERJ 145 e da aeronave modelo 190 vai melhorar a atual malha doméstica da China, utilizando frotas mistas em rotas com menor demanda ou abrindo novos mercados. "Isto beneficiará o desenvolvimento econômico de cidades pequenas e médias nas regiões oeste e nordeste." Conforme o aviso, o Grupo HNA opera a maior frota de jatos regionais na China.Em 30 de junho passado, a Embraer entregou 163 E-Jets a clientes no Canadá, Estados Unidos, Equador, Panamá, Arábia Saudita, Finlândia, Polônia, Itália, Alemanha, Índia e Hong Kong. Além disso, diz o comunicado, a companhia brasileira entregou 858 aviões comerciais ERJ 145 em todo o mundo.Ambas as famílias de aeronaves comerciais da Embraer - os E-Jets e os ERJ 145 - voam atualmente para mais de 70 empresas aéreas, em 43 países.AcordosO presidente da Comissão Permanente da Assembléia Popular da China, Wu Banggu, assina nesta quarta em encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, além dos acordos bilaterais para a compra de cem aviões da Embraer, acordos entre empresas chinesas e brasileiras na área de telefonia. Pela manhã, Banggu esteve com o presidente da Câmara, Aldo Rebelo (PCdoB-SP), quando assinou convênio de colaboração entre os Legislativos dos dois países, e com o presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). Integram a comitiva de Banggu, 80 empresários chineses. O chefe do parlamento chinês encontrou o Congresso quase vazio por causa do recesso branco.Matéria alterada às 14h47 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.