Andrew Caballero-Reynolds/AFP - 12/5/2020
Andrew Caballero-Reynolds/AFP - 12/5/2020

coluna

Carolina Bartunek: ESG, o que eu tenho a ver com isso?

Companhias aéreas dos EUA se preparam para cortar empregos e buscam mais empréstimos do governo

Nova onda de casos de covid-19 e restrições de viagens atrasam a recuperação no setor, que já obteve um plano de socorro de US$ 25 bilhões

O Estado de S.Paulo

07 de julho de 2020 | 14h23

WASHINGTON - Companhias aéreas americanas estão se preparando para cortar milhares de postos de trabalho e obter empréstimos do governo, enquanto uma onda de casos de coronavírus e novas restrições de viagens atrasam a recuperação do setor.

Depois que Nova York, Nova Jersey e Connecticut anunciaram que exigiriam que passageiros vindos de Estados onde a situação é critica entrassem em quarentena por 14 dias, as reservas de passagens da United Airlines começaram a cair rapidamente, de acordo com uma apresentação aos funcionários da empresa vista na segunda-feira, 6, pelo The Wall Street Journal.

Esse é um sinal preocupante para as perspectivas de recuperação da indústria aérea. A Frontier Airlines, com sede em Denver, também disse aos funcionários que as reservas foram prejudicadas e que está avaliando quais reduções de cronograma seriam necessárias.

A maioria das companhias da indústria alertou aos trabalhadores que teria de reduzir as equipes a partir 1º de outubro. Nessa data, vencem as restrições para o setor que acompanharam o pacote governamental de US$ 25 bilhões (cerca de R$ 134 bilhões) em ajuda financeira. 

A United já disse que planeja reduzir sua força de trabalho administrativa em 30%. Na semana passada, a Delta enviou avisos semelhantes para mais de 2,5 mil de seus pilotos.

As aéreas também estão pleiteando outros US$ 25 bilhões em empréstimos federais que foram autorizados sob o mesmo amplo pacote de estímulo aprovado em março, enquanto preservam caixa para enfrentar uma crise que, segundo elas, provavelmente durará anos.

United, Delta, Southwest Airlines, JetBlue Airways Corp. e Alaska Airlines assinaram cartas de intenções com o Departamento do Tesouro dos EUA para obter os empréstimos, informou o órgão nesta terça-feira, 7. Cinco outras companhias aéreas, incluindo a American Airlines, assinaram cartas de intenção na semana passada. / DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.