Companhias aéreas enganam consumidores em sites, diz UE

Estudo relata que preços de passagens em anúncios dão enganosos.

BBC Brasil, BBC

13 de novembro de 2007 | 10h35

Um estudo feito pela Comissão Européia descobriu que pelo menos 200 sites de linhas aéreas européias na internet estão enganando os consumidores.O relatório afirmou que estes sites ocultam taxas e comissões e se recusam a destacar as passagens com o preço mais baixo.A Comissão Européia não revelou o nome das companhias aéreas envolvidas para lhes dar tempo de melhorar seus serviços online.Em outubro, uma órgão de fiscalização na Espanha afirmou que encontrou informações que enganavam o consumidor em sete sites, entre eles, o da companhia aérea irlandesa Ryanair, uma das mais conhecidas empresas aéreas dedicadas à passagens baratas na Europa.Autoridades nacionais do setor de aviação de 15 países da União Européia realizaram a pesquisa durante um final de semana no mês de setembro.Elas navegaram por 400 sites na internet e descobriram que metade das empresas estava violando alguma lei da União Européia.Entre as infrações mais comuns encontradas estavam a não-inclusão dos preços nas páginas, a oferta de vôos "grátis" que não eram realmente de graça e a compra obrigatória de seguro acoplada a ofertas.O estudo da Comissão Européia descobriu que as companhias aéreas da Bélgica eram as maiores infratoras. Entre 48 páginas belgas pesquisadas, 46 desrespeitavam as diretrizes de atendimento ao consumidor.A Áustria teve o melhor desempenho. Nenhuma das 20 páginas de venda de passagens aéreas do país enganava o consumidor, segundo o relatório.A Comissão Européia pode obrigar o fechamento das páginas que cometem infrações em 2008 se elas não mostrarem nenhuma melhora.Em outubro, uma organização de defesa dos direitos do consumidor da Espanha fez uma análise semelhante e encontrou problemas em sete de 12 sites de vendas de passagens áreas. Entre as empresas com problemas estavam Ryanair, Vueling, Iberia e Spainair.Na Grã-Bretanha, o Departamento por Comércio Justo, a autoridade do governo que defende os interesses do consumidor e de regras justas no mercado, já adotou medidas contra 13 companhias aéreas por não incluírem várias taxas nos preços de passagens oferecidas em seus anúncios.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.