Companhias nos EUA vão taxar segunda mala

Cinco das seis maiores companhias aéreas dos Estados Unidos planejam começar a cobrar dos passageiros até US$ 25, a partir do próximo mês, para transportar a segunda mala, na mais recente tentativa de compensar a alta do preço dos combustíveis.Mas enquanto as companhias, e até alguns especialistas da indústria, dizem que as novas taxas devem afetem principalmente viajantes a lazer, executivos e empresários tendem a divergir. "Pessoas viajando com amostras ou materiais para serem expostos em feiras comerciais, vão achar os custos substancialmente mais altos", disse Robert Mann, analista de aviação. "Essa cobrança não está limitada aos viajantes de lazer."Pete Mitchell, diretor de vendas da fabricante de malas Samsonite, disse que ele viaja com freqüência com amostras e fica relutante em despachar o material. "Nós levamos protótipos e amostras de produção,", disse Mitchell. "Algumas vezes levamos coisas que são feitas a mão. Não podemos enviar outra amostra se a perdermos." A nova taxa deUS$ 25 pela segunda mala está sendo cobrada pela Continental, Delta, Northwest, United e US Airways. A empresa de baixo custo AirTran, anunciou que cobrará uma taxa de US$ 10 pela segunda mala. Há tempos as companhias cobram taxas pela terceira mala. Algumas empresas aumentaram recentemente essas taxas. Elas podem chegar a US$ 100.No momento em que as companhias brigam para ficar no azul, as taxas por serviços antes incluídos no bilhete estão crescendo. Dependendo da companhia aérea, os viajantes agora podem ter de pagar extras por tudo, de comida ao check-in mais rápido ou cadeiras que oferecem mais espaço para as pernas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.