seu bolso

E-Investidor: O passo a passo para montar uma reserva de emergência

Compare imóvel residencial e comercial

Muita gente ainda prefere deixar uma boa parte do capital aplicado em imóvel. Até mesmo investidores mais agressivos, que costumam escolher a aplicação financeira que acena com a possibilidade de maior remuneração, preferem deixar o dinheiro aplicado em algo que tenha solidez, como é o caso dos imóveis, no momento em que vislumbram sinais de mudança na política econômica, como em véspera de eleições.Para quem vai comprar imóvel com a finalidade de oferecê-lo no mercado de locação, a dúvida é saber se é melhor investir em unidade residencial ou comercial. Seja qual for a opção feita, há vantagens e desvantagens que o investidor deve analisar com cuidado. Compare a rentabilidadeSe o fator mais importante for a rentabilidade, os imóveis comerciais podem ser os mais indicados. Segundo o diretor da Adviser Assessoria Imobiliária, Luís Álvaro Ribeiro, na locação comercial o rendimento mensal vai de 0,8% a 1,1% do capital investido, dependendo do tipo do imóvel e da localização. Segundo pesquisa da Hubert Assessoria Imobiliária, nos últimos 12 meses os aluguéis de imóveis comerciais da capital tiveram valorização média de 7,83%. Em regiões mais valorizadas, como as Avenidas Paulista e Faria Lima, os preços subiram, respectivamente, 14,54% e 10,23%, acima da inflação de 9,90%, apurada pelo Índice de Preços do Mercado (IGP-M), da Fundação Getúlio Vargas. Na locação residencial, os preços evoluíram apenas 2,5% nos últimos 12 meses, segundo pesquisa do Secovi-SP (sindicato da habitação). No entanto, a expectativa de Sérgio Lembi, vice-presidente da área de Locação do Secovi-SP, é de maior evolução dos preços nos próximos meses. Há opções comerciais e residenciaisO diretor da Adviser Assessoria Imobiliária, Luís Álvaro Ribeiro, também entende que imóveis localizados em centros comerciais em crescimento, próximos de terminais de ônibus, são uma boa opção para locação comercial. Podem ser ocupados por farmácias, lojas de ferragens, de materiais de construção, entre outras finalidades. Ele acrescenta que os investidores devem observar quais são os locais onde estão ocorrendo os lançamentos imobiliários, que são indicador importante de expansão da região. Ribeiro aponta como exemplo os bairros de Vila Mariana, Santana, Tatuapé e Água Branca. Se a opção for por unidades residenciais, a indicação de Roberto Capuano, do Conselho Regional de Corretores de Imóveis de São Paulo (Creci-SP), é a aquisição de unidades de dois dormitórios, na faixa de R$ 60 mil a R$ 70 mil. Ele acrescenta que esse tipo de imóvel tem demanda segura. Se for casa, melhor ainda, porque muitos inquilinos estão optando pela locação que implique menor custo.Aqui também vale a escolha criteriosa da localização. Os imóveis mais procurados estão situados perto de escolas, farmácias e hospitais. Ele recomenda imóveis residenciais para locação na faixa de até R$ 600. Capuano comenta que 80% dos inquilinos que procuram imóvel para morar estão atrás de unidades com preços até esse limite e apenas 2% deles se dispõem a pagar valor acima de R$ 1.000.Localização é importante nesse investimento Não basta apenas decidir que o investimento vai ser em imóvel residencial ou comercial para alugar. Um fator importante para não ficar com a unidade fechada é a escolha da localização e do tipo de unidade. É bom verificar se não existe oferta excessiva de locação com as mesmas características na região escolhida. Segundo Luiz Paulo Pompéia, diretor da Empresa Brasileira de Estudos do Patrimônio (Embraesp), imóveis como escritórios, destinados a profissionais liberais, somente são bom negócio se estiverem localizados em bairros com centros comerciais em expansão.Luiz Pompéia lembra que com recursos em torno de R$ 80 mil é possível comprar um escritório pequeno de boa qualidade com até 30 m². Com cerca de R$ 400 mil, dá para adquirir uma unidade melhor, com cerca de 80 m².

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.