Competição externa afetou indústria no 1º trimestre

A competição com produtos importados e no mercado externo prejudicou a indústria no primeiro trimestre deste ano. Isso explicaria em parte o resultado negativo da indústria têxtil, artigos de vestuário e máquinas para escritório e equipamentos de informática, por exemplo, afirmou a gerente da coordenação de Contas Nacionais do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Rebeca Palis.

FERNANDA NUNES, MÔNICA CIARELLI, MARIANA DURÃO E VINÍCIUS NEDER, Agencia Estado

29 de maio de 2013 | 10h56

Por outro lado, o segmento de bens de capital contribuiu para que a indústria de transformação não tivesse um resultado pior no primeiro trimestre deste ano do que a queda de 1,4%, em comparação a igual período do ano passado. Palis avalia que o resultado positivo apresentado pela indústria automotiva, relacionado à produção de caminhões; de equipamentos de transporte, que inclui embarcações e aviões; e de máquinas e aparelhos elétricos é um indicativo de investimento por parte da indústria e do setor agropecuário.

O investimento em bens de capital pode ser interpretado como um início de recuperação da economia, porém, há também uma base de comparação favorável, já que o investimento em máquinas e equipamentos foi ruim no ano passado, ressaltou Rebeca.

Bens de capital

Já o resultado positivo do segmento de bens de capital no primeiro trimestre deste ano, comparado a igual período do ano passado, foi motivado pelo câmbio e por políticas públicas, como as condições de crédito favoráveis concedidas, principalmente, pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), ressaltou Palis. O segmento também foi favorecido pelas taxas de juros, base de comparação favorável e aumento da demanda.

Tudo o que sabemos sobre:
IBGEPIB1º trimestreindústria

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.