Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Compra da Nossa Caixa fortalece Banco do Brasil, diz Mantega

Ministro da Fazenda destaca que instituição está autorizada a fazer novas aquisições, facilitadas pela MP 443

Fabio Graner e Ricardo Leopoldo, da Agência Estado,

20 de novembro de 2008 | 16h53

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, disse nesta quinta-feira, 20, que a aquisição da Nossa Caixa fortalece o Banco do Brasil e que a instituição está autorizada a fazer outras aquisições. "Mas se houver necessidade, para ajudar o setor privado, algum banco que queira. Eles estão vendendo carteiras. O BB está habilitado a comprar algum banco privado também. Mas não há nada definido", afirmou.   Veja também: BB e governo de SP fecham acordo sobre venda da Nossa Caixa Veja o fato relevante sobre a compra da Nossa Caixa pelo BB Mesmo com Nossa Caixa, BB ainda fica atrás de Itaú/Unibanco Ação da Nossa Caixa sobe mais de 80% com interesse do BB Governo age por vaidade, diz associação de minoritários do BB Lula quer Banco do Brasil de volta ao topo do ranking Veja o que muda com a Medida Provisória 443 De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29 Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise     Segundo o ministro, a edição da Medida Provisória 443, que permite ao BB e a à Caixa Econômica Federal (CEF), adquirirem outras instituições financeiras ajudou a viabilizar a operação de compra da Nossa Caixa porque, nesse caso, não seria possível fazer troca de ações, como ocorreu na incorporação do Banco do Estado de Santa Catarina (Besc).   Em entrevista coletiva em São Paulo, o presidente do Banco do Brasil, Antônio Francisco de Lima Neto, confirmou que a instituição está disposta a buscar a liderança no mercado bancário, perdida após a fusão entre o Itaú e o Unibanco, através da compra de outros bancos. "Se tivermos oportunidades, sim", declarou ele, ao ser questionado sobre essa possibilidade.   O seu comentário vai em linha com a manifestação do presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, de que o Banco do Brasil deve ser a maior instituição financeira do País. "O presidente está certo, o BB mantém a liderança no mercado de crédito. Com a aquisição da Nossa Caixa, o Banco do Brasil reforça que está no bloco de liderança do setor."   Mantega destacou que, agora, o banco se consolida entre as 20 maiores instituições financeiras do mundo. "Com essa compra, o Banco do Brasil terá mais condições de fazer o trabalho de ser responsável por uma parte importante do crédito no Brasil." Ele afirmou também que o banco federal vai, com a operação, ter mais presença em São Paulo, já que a Nossa Caixa conta com aproximadamente 300 agências no Estado.     Além disso, Mantega afirmou que o governo vai equilibrar o jogo com os grandes bancos brasileiros do setor privado, aumentando a competição no mercado. "É importante que o BB e a Caixa Econômica Federal sejam bancos fortes e tenham poder de competição para beneficiar os correntistas", afirmou. "Nós vimos que é importante em um momento de crise ter bancos públicos fortes, porque eles não sofrem restrição de crédito. Ao contrário, podem acrescentar mais crédito e ajudar a manter o mercado mais sólido", emendou.   O ministro ressaltou que o governo pretende "continuar trabalhando com bancos públicos sólidos, elevando crédito e baixando a taxa de juros". Ele deu a entrevista ao chegar ao Ministério da Fazenda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.