finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Compra de carteiras de crédito gira só R$ 5,7 bi

Dos recursos dos compulsórios liberados pelo Banco Central (BC), num total de R$ 56 bilhões desde setembro, só R$ 5,778 bilhões foram destinados para a compra de carteiras de crédito. Outros R$ 21 bilhões foram irrigar o caixa de bancos pequenos e médios e suprir a falta de liquidez que travou o mercado financeiro, há dois meses. Essa é a primeira vez que esses dados dos compulsórios são detalhados.O BC contabiliza, ainda, que outros R$ 4,430 bilhões foram utilizados em negócios de compra de carteiras e ativos entre os bancos. No entanto, trata-se de um dinheiro que ainda está retido, mas será liberado em breve. Esses R$ 4,4 bilhões já são considerados parte dos compulsórios que serão liberados, em resposta à punição adotada pelo BC de não corrigir pela variação da Selic os recursos que não forem utilizados na compra de carteiras de crédito de outras instituições.A medida, anunciada no dia 30 de outubro, que entrará em vigor na próxima sexta-feira, dia 14, poderá colocar em circulação R$ 28 bilhões, de acordo com a avaliação do BC. Mesmo com a liberação de mais de R$ 56,068 bilhões desde setembro, os bancos mantinham R$ 215,947 bilhões no BC na última sexta-feira, dia 7.O presidente do BC, Henrique Meirelles, já sinalizou que, se necessário, podem ser anunciadas novas liberações desses recursos para ajudar a melhorar a liquidez do mercado brasileiro. Em comunicado no início de outubro, o Banco Central informou que poderia liberar até R$ 100 bilhões dos depósitos compulsórios nos bancos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.