Compra do 1º zero km cresce 284%

No ano passado, 246 mil pessoas compraram carro novo pela primeira vez, o equivalente a 10,5% das vendas

Cleide Silva, O Estadao de S.Paulo

14 de abril de 2008 | 00h00

O sonho do carro novo foi realizado por 246 mil consumidores em 2007. Do total de automóveis e comerciais leves vendidos no ano passado, 10,5% foram parar nas mãos de consumidores que, pela primeira vez, receberam as chaves de um carro com o tradicional cheirinho de recém-saído da fábrica.O número de consumidores que adquiriu carro zero quilômetro pela primeira vez é 284% superior ao registrado em 2004, quando 64 mil compradores tiveram essa oportunidade. A quantidade equivale a 3,5% das vendas totais no período, de 1,83 milhão de unidades. No ano passado, foram vendidos ao todo 2,34 milhões de automóveis e comerciais leves.Juros baixos e financiamento em prazos longos abriram as portas para uma camada da população antes compradora de veículos usados. Permitiu ainda a uma parcela ir direto ao carro novo, sem escalas. "Também entrou em cena a confiança do consumidor na economia e na manutenção do emprego", constata o vice-presidente da Toyota Mercosul, Luiz Carlos Andrade Junior.Andrade informa que o porcentual de consumidores que comprou carro novo pela primeira vez nos últimos três anos é baseado em amostra obtida em pesquisas de mercado com todas as marcas de veículos. Além do financiamento e da confiança do consumidor, ele adiciona a queda da inflação e a melhora do PIB aos fatores que ajudam a criar esse cenário no mercado automobilístico.Boa parte dos debutantes na aquisição de modelos novos é da classe C, caracterizada pela financeira Cetelem como famílias com renda média de R$ 1.062, além dos bens materiais. "Cerca de 18% dos clientes da nossa marca atualmente são da classe C e, desse total, 60% compraram o primeiro carro zero", afirma Marcelo Olival, gerente executivo de propaganda e marketing da Volkswagen.Segundo Olival, a média de consumidores que comprou carro zero da marca pela primeira vez era de 12% em 2004, participação que saltou para 16% no ano passado. Entre os novatos na marca Volkswagen, 90% escolheram o Gol. Desse grupo, 78% compraram a versão City, a mais barata, e os demais adquiriram modelos mais caros, com acessórios."A extensão do financiamento permite diluir as prestações e muitas pessoas conseguem comprar modelos mais completos", explica Olival. Para ele, medidas que aumentem os juros ou reduzam os prazos do crediário podem afetar diretamente esse segmento que está tendo acesso ao primeiro veículo. Pelo menos 70% das vendas de veículos são financiadas.Na opinião de José Rinaldo Caporal, da consultoria Megadealer, houve migração em toda a escala de donos de veículos. "Quem tinha uma bicicleta conseguiu comprar uma moto, quem tinha moto comprou um carro usado e quem tinha o usado comprou um novo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.