Compra do exterior subiu após abertura comercial

A importação de automóveis no Brasil ganhou mais espaço no início dos anos 90, quando o então presidente Fernando Collor de Mello chamou os carros nacionais de "carroças". Foi exatamente no governo Collor que teve início a abertura da economia para as importações, com o fim de reservas de mercado.Collor prometia varrer das ruas brasileiras as "carroças", facilitando a entrada no País de modelos modernos. A primeira leva de carros importados, porém, foi de autênticas "carroças" russas, da fábrica Lada. Tecnologicamente tão antiquados quanto as "carroças" brasileiras, os Ladas viraram símbolo do início dessa era.Após anos e anos de restrição às importações, a indústria nacional em geral, e a automobilística, em particular, teve de acordar para a necessidade de melhoria da qualidade de seus produtos, com redução de custos e de preço. Ainda em 1990, a General Motors, por exemplo, negociou com fornecedores a redução em 15% do preço das autopeças. O recorde de importação de veículos ocorreu em 1995, primeiro ano cheio do Plano Real, quando foram importados 321 mil veículos, enquanto as exportações ficaram em 263 mil unidades.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.