Compra e venda de sobras de material de construção

Numa obra ou reforma, pode ocorrer um excesso de compra dos materiais de construção. Para o consumidor não ficar no prejuízo por comprar materiais além do necessário, existem lojas especializadas na compra e vendas de peças como azulejos, pisos, cerâmicas, telhas, tijolos e antigüidades em geral. As sobras de materiais, segundo especialistas do setor de construção, podem servir para retoques, pequenas construções adicionais, decoração de pequenos ambientes e vendas para lojas especializadas. O engenheiro de instalações da Método Engenharia, Luiz Antônio de Oliveira Machado Júnior, aconselha o consumidor a realizar um projeto com um profissional do setor para evitar excesso. "A economia e o planejamento da utilização dos materiais deve ser pensada no momento do projeto da construção ou do início da reforma", explica.No caso de eventuais sobras de peças como azulejos, pisos, lajotas, faixas decorativas, ladrilhos e cacos para mosaicos, o consumidor pode reaproveitá-las para eventuais reparos ou decorações de pequenos ambientes. "Se o consumidor tiver criatividade pode reaproveitar todos os materiais que sobram numa obra. Se sobrarem tijolos, por exemplo, pode construir uma pequena churrasqueira. Se sobrarem azulejos, pode criar mosaicos em pequenos ambientes", ressalta a arquiteta e urbanista Patrícia Costa.Compra e venda para peças de acabamentoOutra opção é vender as sobras de peças de acabamento para lojas especializadas em compra e venda de materiais de construção. O Cemitério dos Azulejos, por exemplo, compra pisos, azulejos, lajotas e cerâmicas em geral por preços entre R$ 3,00 a R$ 12,00 o metro. O vendedor da loja, Luiz Gonzaga Martins, explica que representantes da empresa vão retirar o produto na casa do cliente e realizam o orçamento na hora. "Vendemos as peças entre R$ 1,50 a R$ 2,00 para pessoas que realizam pequenas reformas em sua casa ou apartamento", explica.Na loja Soluções dos Azulejos e Pisos Antigos, o cliente também pode solicitar a visita de um representante pelo telefone. Segundo o proprietário da empresa, Lourival Arlindo Martins, estão à venda azulejos antigos e modernos com preços que variam entre R$ 1,00 e R$ 2,00 por peça. A loja também compra sobras de materiais de acabamento por preços de R$ 3,00 a R$ 10,00.AntigüidadesQuem pretende demolir ou reformar a casa e vender algumas peças e antigüidades pode procurar lojas especializadas como O Velhão. A proprietária da empresa, Iracema Rodrigues Arcanjo, explica que representantes do Velhão são enviados às obras para verificar e comprar peças antigas como colunas, estatuas, janelas, portas, tijolos, cerâmicas, entre outros. O preço de compra ou venda da peça varia conforme seu estado, ano de construção, material e detalhes.Na loja Como Antigamente, o cliente pode encontrar peças antigas como grades, postes, portões de ferro e portas de ferro antigos, janelas, portas e estátuas. O gerente de vendas da loja, Eli de Oliveira, explica que algumas peças são restauradas e constituídas antes de serem revendidas. A loja compra e vende materiais de construção em demolição, de colecionadores e de pessoas que pretendem realizar uma reforma.Veja em matéria a seguir dicas do Procon-SP para evitar prejuízos na hora de reformar um imóvel.ServiçoCemitério dos Azulejos - Avenida Celso Garcia, 635, Tatuapé, zona Leste de São Paulo. Telefones: (0xx11) 295-2679 ou 293-2778Soluções dos Azulejos e Pisos Antigos - Rua da Consolação 393, Cerqueira César, zona Sul de São Paulo. Telefone: (0xx11) 259-0454O Velhão - Estrada Santa Inês, 3000, Mairiporã, Grande São Paulo. Telefones: (0xx11) 4485-1330 ou 4485-1964Como Antigamente - Rua Alvarenga, 1.075, Butantã, zona Sul de São Paulo. Telefone: (0xx11) 3814-5755

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.