Compra para terceiros é arriscada

O endividamento por causa de compra para terceiros liderou o ranking dos motivos da falta de pagamento de prestações no primeiro semestre deste ano, com 19,8% das justificativas. Segundo Júlio Shinohara, diretor de Marketing do Grupo Unidos, maior empresa de cobrança do País, "trata-se de um dos motivos mais comuns da inadimplência, seguido da ajuda a familiares". O grupo pesquisa semestralmente os motivos da falta de pagamento de dívidas de curto prazo, de no máximo 120 dias. De acordo com Marcel Solimeo, diretor do Instituto de Economia Gastão Vidigal, da Associação Comercial de São Paulo (ACSP), com o crescimento do emprego informal, o atraso no pagamento de carnês por causa de terceiros pode aumentar. "O endividamento por causa de desemprego, motivo apontado por 42% dos entrevistados, ainda lidera nossas pesquisas, porque acompanhamos dívidas antigas, mas o atraso por causa de terceiros deve aumentar com a informalidade", prevê.Shinohara concorda com Solimeo. Ele diz que 40% das dívidas causadas por terceiros é reflexo da informalidade ou da falta de renda para comprar um bem. "O porcentual de inadimplência por causa de terceiros já foi de 35% em 1997, vinha caindo até o ano passado, mas voltou a subir." Por isso, é necessário que as pessoas fiquem alertas", afirma.A pesquisa do Grupo Unidos mostra, ainda, que mais de 80% dos entrevistados devedores, que foram parar no rol dos devedores no Serviço de Proteção ao Crédito (SCPC) por causa de crediário feito para terceiros, recebem salários abaixo de R$ 1 mil. "Assim, fica difícil o consumidor arcar com a dívida dos outros, correndo o risco de perder o crédito na praça, quando deveria estar apto a fazer compras."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.