Compra parcelada é maioria em gastos com cartão de crédito

Pesquisa da Itaucard mostra que parcelamentos representam 50,1% das compras no 1º semestre deste ano

Ana Paula Ribeiro, da Agência Estado,

23 de julho de 2008 | 15h30

As compras com cartão de crédito feitas com parcelamento já representam mais de metade do faturamento do setor, segundo o estudo "A Evolução do Cartão no Acesso ao Crédito", divulgado nesta quarta-feira, 23, pela Itaucard. De acordo com os dados, os parcelamentos atingiram 50,1% no 1º semestre, um avanço de dez pontos percentuais nos últimos cinco anos. A previsão é que esse número chegue a 51,8% no final do ano. A Itaucard explicou que a expansão é justificada pela maior segurança nessas operações, aumento do número de estabelecimentos credenciados e prazos de pagamento. "Este percentual indica que o aumento do consumo veio acompanhado de maior planejamento financeiro. A possibilidade de compra parcelada sem juros permite o padrão de consumo de bens de maior valor, contribuindo para manter o mercado e a produção aquecidos e mantendo as contas pessoais mais equilibradas", disse, em nota, Fernando Chacon, diretor de Marketing do Banco Itaú. O crescimento do uso do cartão de crédito, segundo Chacon, é explicado também pela substituição do cheque. Em 1994, as transações com cartões representavam 0,5% do volume de cheques compensados. Em 2008, a expectativa é que a inversão ocorrida em 2006 seja intensificada e, ao final do ano, a indústria contabilize 2,9 bilhões de transações com cartão contra 1,4 bilhão de cheques compensados. A Itaucard acredita que o faturamento dos cartões de crédito em julho chegará a R$ 18,5 bilhões, um crescimento de 23,5% em julho em relação ao mesmo mês do ano passado. Ao todo, serão 235 milhões de transações com um tíquete médio de R$ 78,80, valor 5,9% maior que o registrado em julho de 2007. "O aumento do volume de compras parceladas, cujos tíquetes médios são consideravelmente maiores do que nas compras à vista, pode ser apontado como um dos responsáveis por esta diferença na curva histórica de queda do índice", afirmou Chacon. No acumulado do ano, o faturamento da indústria de cartões é de R$ 120,7 bilhões, o que indica um crescimento de 23,2% em relação a igual período de 2007.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.