finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Comprador volta ao mercado de milho e preço sobe nos EUA

Cenário: Ana Conceição

O Estado de S.Paulo

19 de outubro de 2011 | 03h06

Os compradores voltaram ao mercado futuro do milho depois da recente queda de preços. Com isso, as cotações fecharam perto da estabilidade na Bolsa de Chicago, ontem. O contrato dezembro subiu 0,55%, para US$ 6,44 por bushel. Nos últimos 30 dias, o contrato acumula baixa de 8%. As cotações das matérias-primas agrícolas oscilaram entre altas e baixas ontem, influenciadas por vários fatores, como a desaceleração da economia da China, as preocupações com a crise na Europa e as incertezas com relação ao tamanho da safra de grãos nos Estados Unidos.

O governo americano reconheceu que tem encontrado dificuldades para estimar a safra com precisão neste ano e atribuiu parte do problema à expansão da indústria de etanol. Respondendo a questionamentos de analistas, funcionários do Departamento de Agricultura, reunidos num encontro anual da indústria, disseram que tem sido difícil estimar os estoques, a produção e o plantio de safras como milho e soja no país. Analistas, investidores e empresas tomam decisões nas bolsas agrícolas com base nos dados do Departamento, que tem surpreendido com números muito diferentes daqueles previstos pelos participantes do mercado.

Na bolsa de Nova York, os preços do café arábica voltaram a cair diante de um cenário de oferta mais ampla no Brasil na próxima safra. O contrato dezembro recuou 1,07%, cotado a 231,50 centavos de dólar por libra-peso. De acordo com o Commerzbank, a probabilidade de alta na cotação do grão diminuiu nas últimas semanas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.