Comprafacil.com adquire site de compras coletivas

O Comprafacil.com, um dos maiores no comércio eletrônico do País, fechou ontem a aquisição do site de compras coletivas Oferta X. O valor do negócio não foi divulgado. Com a operação, pela primeira vez no mercado nacional o sistema de compras coletivas vai vender bens de consumo, como câmeras, TVs e computadores, com descontos agressivos. Até agora, esse tipo de site - que virou febre no Brasil no último ano, com o surgimento de competidores locais e internacionais - só oferecia serviços.

Clayton Netz, O Estado de S.Paulo

27 de outubro de 2010 | 00h00

No site de compras em grupo, os clientes cadastrados recebem ofertas de descontos de até 90% em estabelecimentos como restaurantes ou salões de beleza. Mas o vale-compras só passa a valer se um número mínimo de pessoas adquirir a promoção.

"Para nós, o Oferta X é um negócio complementar à nossa operação. Vamos usá-lo como meio de escoar nosso estoque. Podemos ainda adquirir sobras de estoque da indústria para serem oferecidas no site", diz Gustavo Bach, diretor de Marketing e de Recursos Humanos do Grupo Hermes, controlador do Comprafacil.com. Além do site de comércio eletrônico, o grupo, com sede no Rio de Janeiro e fundado há quase 70 anos, mantém operações de vendas por catálogo e no porta a porta. Bisneto do fundador, Bach comanda a empresa ao lado da mãe, Cláudia, e espera faturar R$ 2,1 bilhões este ano.

Com menos de seis meses de atividade, o Oferta X tem uma base de 100 mil clientes cadastrados e está entre os cinco maiores sites de compras coletivas. "Com a aquisição do controle pelo Comprafacil.com e o acesso aos seus 2 milhões de clientes, esperamos alcançar a liderança", diz Daniel Deivisson, diretor de Marketing e um dos quatro fundadores do site. "Com essa ação, o fenômeno "redes sociais" invade e se mescla com o tradicional comércio eletrônico."

Três dos fundadores vão permanecer no dia a dia do Oferta X. O site de compras coletivas deve terminar o ano com um faturamento de R$ 7,5 milhões. E espera multiplicar a receita por pelo menos seis vezes em 2011.

A assessoria financeira da aquisição foi feita pela empresa de investimentos Vinci Partners, do banqueiro Gilberto Sayão. E a primeira oferta de desconto de produto seria feita no fim da noite de ontem. Uma câmera, normalmente vendida a R$ 249, seria oferecida por menos da metade do preço: R$ 99.

FIDELIDADE

Multiplus deve faturar R$ 1 bi com venda de pontos

A Multiplus, empresa de fidelidade da TAM, está ganhando muito dinheiro com a compra e venda de pontos de programas de seus parceiros. A empresa, que nasceu há um ano e abriu capital em fevereiro passado, obteve um faturamento de R$ 264 milhões no segundo trimestre de 2010. A projeção é que a Multiplus encerre o ano com mais de R$ 1 bilhão de faturamento. Segundo Eduardo Gouveia, presidente da Multiplus, o negócio funciona como uma casa de câmbio. "Compramos pontos que expiraram por um preço mais baixo e vendemos por um preço mais caro", diz Gouveia. E são muitos os pontos negociáveis. Em 2009, a rede Multiplus contabilizou 36 bilhões de pontos acumulados e 27 bilhões de pontos resgatados - 75% do total. Atualmente, a Multiplus conta com 7,2 milhões de consumidores participantes e nove parcerias - a última acabou de ser fechada ontem, com a Sky.

BATERIAS

Johnson Controls investe US$ 51 milhões em expansão

O plano de investimentos da americana Johnson Controls, dona da marca de baterias Heliar, está começando a sair do papel. Calculado em US$ 51 milhões para os próximos três anos, o aporte vai ampliar a produção de sua fábrica de baterias de Sorocaba (SP) em 3 milhões de unidades. A Johnson Controls, que deve faturar US$ 37 bilhões globalmente em 2011, está lançando neste mês o primeiro produto dessa nova fase: uma bateria que oferece garantia de 24 meses, o dobro do praticado no mercado brasileiro.

AVIAÇÃO

Líder compra helicóptero para usar no pré-sal

A Líder, de Belo Horizonte, anunciou na NBAA, feira de aviação realizada em Atlanta, nos Estados Unidos, a compra de mais um helicóptero S-92, da Sikorsky Aircraft Corp, avaliado no mercado em US$ 27 milhões. Com capacidade para 21 passageiros e cinco horas de autonomia de voo, o aparelho é o quarto da categoria adquirido pela empresa mineira nos últimos 12 meses e deverá ser empregado no apoio às operações offshore de petróleo no Pré-Sal. Com 54 helicópteros e 20 aviões em sua frota, a Líder é a maior empresa do setor na América Latina, com um faturamento de R$ 612 milhões em 2009.

ALIMENTAÇÃO

Selleti chega ao Rio de Janeiro

A rede de lanchonetes paulista Seletti, especializada em saladas, wraps e sucos, está dando seu primeiro passo fora de São Paulo. O destino escolhido foi o Barra Shopping, no Rio. O motivo, segundo Luis Felipe Campos, fundador da Seletti, é a afinidade dos cariocas com a chamada alimentação saudável. Hoje com oito unidades (apenas uma franqueada), a Seletti quer atingir 20 lojas em 2011 e receitas de R$ 17 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.