Comprar compulsivamente é doença

Quando comprar compulsivamente é a própria doença, e não sintoma de outras, fala-se em oniomania. É uma espécie de dependência não-química e está na mesma categoria dos viciados em jogos, por exemplo. A psiquiatra Daniela Sabbatini da Silva Lobo, uma das médicas à frente do Ambulatório do Jogo Patológico e outros Transtornos do Impulso (Amjo), do Hospital das Clínicas, explica que o oniomaníaco quase sempre busca tratamento quando o endividamento já chegou a um ponto insuportável, em que a família já foi toda envolvida. E, ainda assim, continua gastando compulsivamente até sete a oito vezes o valor do próprio salário.Segundo a médica, não existem estatísticas brasileiras, mas, no Canadá e nos Estados Unidos, os oniomaníacos são 1% da população. No Hospital das Clínicas, onde os pacientes com esse tipo de doença são tratados há dois anos, a procura por uma vaga no Amjo aumenta a cada dia. Já existe fila de espera. "Utilizamos a psicoterapia e em alguns casos medicamentos antidepressivos", diz Daniela.O Amjo atua em parceria com os Devedores Anônimos, grupo nos moldes dos Alcóolicos Anônimos (AA), em cujas reuniões se reaprende a lidar com dinheiro, fazendo o cálculos das despesas domésticas e relacionando-as com o ganho mensal. O grupo de Devedores Anônimos reúne-se na Rua Sampaio Vidal, 1.055, capital. O telefone do Hospital das Clínicas é (0--11) 3069-6000.

Agencia Estado,

31 de outubro de 2000 | 19h28

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.