Compras do governo favorecem área militar

Encomendas do governo beneficiam principalmente a fabricante de lançadores de mísseis Avibrás, que está em recuperação extra judicial

ROBERTO GODOY, O Estado de S.Paulo

28 de junho de 2012 | 03h05

A formalização das compras e investimentos do governo nos programas de produção e desenvolvimento dos blindados Guarani, da Iveco, e dos lançadores múltiplos de foguetes e mísseis Astros 2020, da Avibrás, supera o efeito imediato, da aplicação de dinheiro a curto prazo - a rigor, a inclusão dos projetos no PAC consolida a administração federal como protagonista dos negócios no setor da Defesa. O valor do pacote, que envolve também 5.070 caminhões de diversos tipos, chega a R$ 1,527 bilhão.

Segundo Sami Hassuani, presidente da Avibrás, "o governo assumiu compromissos com a produção. É uma vitória extraordinária".

Os dois projetos estratégicos, do blindado Guarani e do lançador Astros, vão receber R$ 588,4 milhões. Os 40 veículos da Iveco terão R$ 342,4 milhões. O produto da Avibrás, cobrindo 30 unidades da configuração 2020, vai levar R$ 246 milhões. Em 2011, a empresa recebeu um contrato no valor de R$ 160 milhões.

Os restantes R$ 939,6 milhões vão custear a encomenda de 5.070 carretas e transportadores mais leves para o deslocamento de tropas e usos gerais. As Forças já estavam autorizadas a comprar no mercado nacional 900 unidades às quais se somarão, agora, outras 4.170.

Produtos. A Avibrás é a principal beneficiada pela MP dos equipamentos. O grupo de São José dos Campos vive sob regime de recuperação extrajudicial. Após receber um aporte do Ministério da Defesa em 2011, iniciou efetivamente o programa Astros 2020, quinta e mais avançada configuração do Astros, para fogo de saturação de área com alcance entre 9,5 e 90 quilômetros.

No novo conceito, a arma passa a incorporar um míssil de cruzeiro com alta precisão e alcance de 300 quilômetros, o AV-TM, e munições com maior poder de fogo. O principal avanço, todavia, é na área eletrônica, toda digital. Em julho de 2011, durante exercício de instrução no campo de Formosa (GO), a 80 quilômetros de Brasília, foram empregados pela primeira vez os blindados de comando e controle que farão parte do conjunto.

O investimento total no projeto é de R$ 1,2 bilhão - valor distribuído ao longo de seis anos. O material que a Força está comprando é composto por 49 viaturas. Além de incorporar o míssil AV-TM, 0 2020 emprega o modelo FOG, antiblindagem.

O Guarani mede 6,9 metros de comprimento, 2,7 metros de largura. Tem uma torre móvel, de acionamento elétrico, para receber vários tipos de armas, e atingirá a velocidade de 90 km por hora em estrada. Também será equipado com navegador GPS, sistema ótico de visão noturna.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.