Compulsório e lei de falências reduzem custo bancário em 20%

O anúncio de redução das taxas de compulsórios ? parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central ? e a votação da Lei de Falências reduzirão em pelo menos 20% os custos bancários. A estimativa foi feita hoje por Beto Albuquerque, vice-líder do governo na Câmara e deputado pelo PSB gaúcho, ao site AE Financeiro, da Agência Estado. Para ele, o Congresso já avançou na discussão do tema. "Em seis meses, já avançamos muito. Tomamos a decisão. Vamos fazer. Vamos trabalhar para que esta lei seja votada ainda dentro da (convocação) extraordinária, ou seja, ainda esta semana. Dentre as mudanças que posso citar é a atualização de uma nova lei que dialoga diretamente com custos bancários, spreads bancários e taxas de juros. Temos que construir um ambiente de credibilidade muito importante", disse.O deputado acredita que a retirada de 19 pontos do relatório do deputado Osvaldo Biolchi, com os quais o governo não concorda, agiliza a votação da matéria pela Câmara ainda hoje. "Com a retirada, o projeto fica mais enxuto, menos complicado, mais objetivo. Se sairmos da reunião da tarde plenamente de acordo, vamos votar o texto ainda hoje. Não vejo o porquê de não fazermos isso hoje," argumentou. Segundo Albuquerque, após ser votado na Câmara, o projeto vai para o Senado. "Eu espero que não haja mudanças no Senado. Se houver, o texto volta para o plenário da Câmara". Ele lembrou que, após a aprovação, a lei terá 180 dias para entrar em vigor. O áudio da entrevista está disponível no site www.aefinanceiro.com.br/entrevistas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.