finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Conab prevê alta de 10% no processamento de cana

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) estimou que a indústria brasileira vai esmagar 475,12 milhões de toneladas de cana-de-açúcar na safra 2007/08, um aumento de 10,6% sobre o período anterior. Isso corresponde a 86,4% da colheita total de 549,9 milhões de toneladas no ciclo atual. Este número é recorde pela terceira safra consecutiva e 15,8% superior à safra passada.O crescimento é resultado da expectativa do mercado de aumento da demanda de álcool na época do plantio. As informações constam na terceira e última estimativa da Conab para a safra 2007/08 de cana-de-açúcar.O Estado de São Paulo confirma sua posição de maior produtor de cana, respondendo por 58% da colheita. O diretor de logística e gestão empresarial da Conab, Sílvio Porto, disse que a destinação para o setor sucroalcooleiro ficou assim dividia: 223,5 milhões de toneladas vão para a fabricação de açúcar e 251,6 milhões de toneladas vão para a indústria do álcool hidratado (usado nas bombas dos postos) e anidro (misturado na gasolina). O restante, 74,8 milhões de toneladas, vai para outros fins, como a produção de cachaça, rapadura, alimentação animal e semente.A área cultivada, segundo estimativa divulgada hoje pela Conab, cresceu 13%, de 6,2 milhões de hectares na última safra para 7 milhões de hectares. O crescimento é resultado da ocupação da cultura em áreas com pastagens degradadas. A expansão ocorreu em todo País, com destaque para os Estados de Minas Gerais, São Paulo, mato Grosso do Sul, Goiás, Mato Grosso e Paraná.A pesquisa de campo foi realizada entre os dias 5 e 16 de novembro e mobilizou 47 técnicos. Eles conversaram com 355 representantes de usinas/destilarias e de 60 entidades, entre sindicatos, associações, órgãos públicos e privados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.