Conab prevê estabilização do preço atual do álcool

Apesar da expectativa de uma safra recorde de cana-de-açúcar em 2006/2007, o diretor de Logística e Gestão Empresarial da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Sílvio Porto, previu nesta quarta-feira que o preço do álcool combustível não deve cair mais, estabilizando-se no patamar atual."O preço já caiu em comparação com o pico da entressafra, mas acredito que ele deve se estabilizar no patamar de hoje, que está entre R$ 0,84 e R$ 0,96 por litro na usina", afirmou. O diretor esclareceu que essa manutenção de preço deve ocorrer em virtude do crescimento da demanda internacional por etanol, que proporcionará equilíbrio entre procura e oferta.A Conab estimou ainda que, neste ano, o País deverá exportar 2,5 bilhões de litros de etanol ante 2,1 bilhões de litros em 2005. O analista de mercado da companhia, Paulo Morceli, ressaltou que, potencialmente, o mercado externo para o álcool brasileiro é até maior do que esse volume, mas disse que o crescimento das exportações do produto depende, entre outros fatores, de aperfeiçoamento da logística.Produção Em 2006/2007, a produção nacional de álcool deverá totalizar 17,775 bilhões de litros, dos quais 8,667 bilhões (48,8%) de produto anidro e 9,053 bilhões (50,9%) de hidratado, além de 54,9 milhões (0,3%) de álcool neutro (para produção de medicamentos e outros).Em relação à safra 2005/2006, a produção total de álcool na nova safra deverá crescer 4,3%. Na safra passada, segundo números atualizados pela Conab em maio, foram produzidos 17,041 bilhões de litros, uma diferença para mais de 44 mil litros em relação à estimativa feita em dezembro, quando a produção total foi estimada em 16,997 bilhões de litros.Em entrevista coletiva, o diretor de Logística da Conab disse que não há, atualmente, uma estratégia de armazenamento de álcool, como demandam os produtores, porque, segundo ele, o próprio consumo tem ajustado a produção.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.