Conab reduz previsão da safra 2007/2008, mas mantém recorde

Segundo a empresa estatal, País deve produzir 142,42 mi de toneladas no ano, 8,1% maior que a safra anterior

Fabíola Salvador, da Agência Estado,

08 de julho de 2008 | 09h39

A décima estimativa da safra nacional de grãos para o período 2007/2008 foi projetada nesta terça-feira, 8, pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), empresa do governo federal encarregada de gerir as políticas agrícolas e de abastecimento, em 142,42 milhões de toneladas. O número é 8,1% superior à colheita passada, de 131,8 milhões de toneladas, e segue como o maior da história do País, mesmo tendo registrado uma pequena redução de 0,6% em relação ao levantamento de junho, que chegou a 143,3 milhões de toneladas.   Veja também: Como investir seu dinheiro no período de inflação  De olho na inflação, preço por preço  Entenda os principais índices  Entenda a crise dos alimentos      Segundo a Conab, o motivo da queda está nas geadas que atingiram as lavouras do milho safrinha, no Paraná. Por outro lado, as boas condições climáticas, os preços atrativos das matérias-primas (commodities) e o melhoramento tecnológico no campo foram o que impulsionaram a safra recorde.   O milho e a soja representam 70,9% da produção total de grãos, sendo o milho com 57,5 milhões de toneladas e a soja, 59,8 milhões de toneladas.   Mesmo com redução de área, o arroz deve atingir 12,3 milhões de toneladas, ou 8,6% a mais que no período passado. Há perspectiva de aumento, ainda, nas culturas de inverno, como o trigo. Na safra 2008/2009, o cereal deve chegar a 5,3 milhões de toneladas, 38,1% a mais que a colheita anterior, que foi de 3,8 milhões de toneladas. Os motivos estão na expansão da área e nas medidas governamentais de incentivo à produção do grão.

Mais conteúdo sobre:
Safra 2007/2008Alimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.