Conab vê safra de soja em 58,1 mi t; IBGE em 59,35 mi t

A Conab reduziu em mais de 1 milhãode toneladas sua estimativa para a safra de soja do Brasil em2007/08, citando problemas climáticos. A estatal, ligada ao Ministério da Agricultura, informouque espera uma produção de 58,1 milhões de toneladas de soja,ante estimativa de 59,37 milhões de toneladas no mês passado euma produção de 58,4 milhões de toneladas na safra anterior. A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) informou quereduziu a expectativa de produtividade da safra de soja devidoà ação do fenômeno climático La Niña, que deve resultar emmenor quantidade de chuva em importantes áreas de produção emjaneiro e fevereiro. No entanto, o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia eEstatística) divulgou nesta segunda-feira números diferentes,mantendo a estimativa para a safra de soja praticamente nomesmo nível de novembro. O IBGE estimou a produção em 59,35 milhões de toneladas,ante 59,32 milhões no mês passado. Anteriormente, a Conab e o IBGE haviam informado queunificariam a pesquisa sobre a safra de grãos do Brasil apartir desta segunda-feira. Apesar de terem divulgado aspesquisas simultaneamente, em Brasília e no Rio de Janeiro, osnúmeros foram divergentes. MILHO As estimativas dos dois órgãos também foram divergentes emrelação à produção de milho. A Conab estimou a produção da primeira safra do cereal em37,32 milhões de toneladas, número inalterado ante novembro.Para a produção total de milho (1a e 2a safras combinadas), aConab divulgou estimativa de 52,32 milhões de toneladas, ante51,8 milhões em novembro, devido ao aumento de quase 500 miltoneladas na estimativa para a safrinha de milho. O IBGE estimou a produção de milho (1a safra) em 38,35milhões de toneladas, ante 38,26 milhões em novembro. O órgãonão divulgou estimativas sobre a produção total de milho. A Conab reduziu levemente sua estimativa para a produção dealgodão em pluma, de 1,6 milhão de toneladas para 1,58 milhãode toneladas. A estimativa da Conab para a produção de trigo ficouinalterada em 3,8 milhões de toneladas. (Por Inaê Riveras e Marcelo Teixeira; Edição de CamilaMoreira)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.