Concluído abate de gado contaminado com aftosa em MS

Funcionários da Agência de Defesa Sanitária, Animal e Vegetal (Iagro) de Mato Grosso do Sul, terminaram neste sábado o abate do gado contaminado pela febre aftosa, na Fazenda Medianeira III situada no município de Japorã, a 464 quilômetros de Campo Grande, no extremo sul do Estado, divisa com o Paraguai. Eram 137 animais portadores do vírus, identificado quarta-feira desta semana pelas autoridades sanitárias. Além desse total, foram sacrificados mais 11 animais de fazendas vizinhas, entre eles quatro bezerros recém nascidos. Segundo afirmou o presidente da Iagro, João Cavalléro, outras três fazendas vizinhas da Medianeira III, estão sendo analisadas e poderão ter bovinos abatidos. O novo sacrifício pode chegar a uma centena. Segundo Cavalléro, o trabalho é difícil devido ao grande número de pequenas propriedades. "Em Japorã 80% são micro e pequenos proprietários rurais, com rebanho de aproximadamente 30 mil bovinos." Para o superintendente federal de Agricultura, José Antônio Felício, as medidas de combate a doença não se limitarão aos sacrifícios. "Estamos examinando um total de 1.200 animais, todos passarão por testes sorológicos, em toda a região sob influência do foco". Japorã é vizinho de Eldorado, onde em outubro do ano passado surgiu um foco de aftosa, obrigando a realização de um cerco sanitário em cinco municípios da região. Na ocasião, foram sacrificados 33.700 animais, dos quais 27.500 apenas em Japorã.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.