Superoferta de imóveis para alugar é visível nas principais vias de São Paulo, como a Sumaré. Foto: Hélvio Romero/Estadão
Superoferta de imóveis para alugar é visível nas principais vias de São Paulo, como a Sumaré. Foto: Hélvio Romero/Estadão

Concorrência acirrada na vizinhança

O corte de até R$ 1 mil no valor pedido do aluguel no último mês não foi suficiente para facilitar o fechamento do contrato de locação de um imóvel de 205 metros quadrados de área construída na Avenida Sumaré, um importante corredor comercial da cidade de São Paulo. A área, distribuída em três pavimentos, está há cinco meses disponível para alugar.

Márcia De Chiara, O Estado de S. Paulo

16 Maio 2015 | 17h30


No mês passado, o preço pedido para locação variava entre R$ 8,5 mil e R$ 9 mil. E, na semana passada, esse valor tinha recuado para R$ 8 mil. Mesmo assim o imóvel continuava disponível para locação.

O último inquilino do imóvel foi uma pastelaria. Antes, o tinha sido ocupado por uma doceira famosa, que permaneceu por muitos anos nesse endereço.

Mas a queda no ritmo de atividade do comércio registrada nos últimos tempos fez com que o último inquilino, a pastelaria, entregasse o ponto. Assim como outros estabelecimentos comerciais, a receita proporcionada pelo negócio acabou sendo incompatível para bancar a aluguel, num cenário em que há uma grande oferta de imóveis para alugar.

A forte concorrência no setor de locação é visível: o imóvel vizinho, de parede geminada, também está para alugar.

Mais conteúdo sobre:
Mercado Imobiliárioeconomia

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.